Grande parte das pessoas que trabalha com futebol na Inglaterra já reclamou da ausência de uma pausa de inverno no fim do ano, momento em que os ingleses na verdade intensificam o seu calendário enquanto as outras principais ligas descansam. Em breve, provavelmente elas não terão mais do que reclamar porque as conversas para a introdução de um período sem jogos em janeiro estão cada vez mais fortes.

LEIA MAIS: Müller e James comemoram pausa de inverno, enquanto Inglaterra segue sofrendo

Segundo o jornal The Times, a Premier League avisou as emissoras interessadas em adquirir o próximo contrato de televisão, de 2019 a 2022, que uma pausa de inverno pode ser introduzida já nesse período. A Sky Sports e a BT Sport atualmente são as detentoras dos direitos de transmissão, pelos quais pagaram a bagatela de £ 5,14 bilhões, e são as favoritas para continuar transmitindo os principais jogos da Inglaterra.

Esse alerta reportado pelo The Times é a primeira indicação tangível da Premier League na direção de uma pausa de inverno, após anos de engravatados afirmando que a possibilidade estava sendo considerada, mas sem nada ter sido efetivamente feito. Em julho de 2016, por exemplo, o presidente da liga afirmou que “não era contra”, e que havia uma “inclinação a tornar isso realidade”, mas que nada poderia ser feito durante a vigência do atual contrato de direitos de transmissão.

Quem adora as tradicionais datas de Natal e Ano Novo do futebol inglês não precisa se preocupar. De acordo com o Times, a ideia é não mexer com elas, mas introduzir duas semanas de férias em janeiro, depois da terceira rodada da Copa da Inglaterra, que costuma ser realizada no primeiro fim de semana do ano. E, para isso, as outras duas partes envolvidas na negociação, a Federação Inglesa e a Football League, abririam mão de alguma coisa.

A Federação Inglesa está preparada para abolir o replay em mais uma rodada da Copa da Inglaterra, como fez com as quartas de final, dois anos atrás. Segundo o jornal, existe uma cláusula nos acordos de televisão doméstico (até 2021) e internacional (até 2024) que permite à entidade retirar um dos jogos desempate, sofrendo uma multa financeira “modesta”. A ideia de tornar a FA Cup uma competição de meio de semana por enquanto encontra resistência da Federação Inglesa, que a vende com a obrigação da manutenção de jogos em sábados e domingos.

Mas um replay abolido já abriria uma data de meio de semana para jogos da Premier League. Outra data viria do fim dos jogos de ida e volta das semifinais da Copa da Liga Inglesa, organizada pela Football League. No entanto, as ligas administradas por ela (Championship, League One e League Two) não teriam a pausa de inverno porque todas as datas são necessárias para a realização das suas 46 rodadas.

Em um comunicado para o Times e para a BBC, que descreve as discussões como “em duração há meses e construtivas”, a Premier League confirmou, com uma boa dose de diplomacia e corporativês, que o assunto está em pauta:

“A Premier League tem estado discutindo com a Federação Inglesa e com a Football League (responsável pela segunda, terceira e quarta divisões) por meses em relação aos desafios do cada vez mais congestionado calendário do futebol inglês e maneiras em que podemos trabalhar juntos para aliviar esse inchaço e dar aos jogadores uma pausa de meio de temporada. Se pudermos encontrar espaço no calendário, estamos abertos, em princípio, e continuaremos com construtivas discussões com nossos acionistas do futebol em busca de uma solução aceitável”.

Os resultados da venda do próximo contrato da Premier League deve se tornar público semana que vem e, provavelmente, a essa altura, saberemos mais sobre a proposta de uma pausa de inverno. Mas, em um futebol que exige cada vez mais fisicamente dos seus atores, não introduzi-la é um anacronismo que provavelmente não se sustentará por muito mais tempo.