Às vésperas da Copa do Mundo, uma questão recorrente é a forma como os principais jogadores do planeta chegarão à competição. O final da temporada europeia costuma ser exigente e nem sempre quem brilha com seu clube consegue exibir o melhor na fase decisiva do Mundial. Por isso mesmo, a preocupação é evidente. E o presidente da federação argentina, Claudio Tapia, não escondeu o planejamento da Albiceleste em relação a Lionel Messi. O dirigente declarou que entrou em contato com o camisa 10, para conversar sobre a sua utilização no Barcelona.

“Tomara que todos os jogadores cheguem à Copa no nível que apresentam com os clubes. O momento de Agüero é excelente e Messi está sempre entre os melhores. Isso é importante para os dirigentes e para o corpo técnico. Falamos com Messi para que ele se cuide e jogue menos com o Barcelona, a fim de se preservar para o Mundial”, comentou Tapia, em entrevista à televisão argentina.

Segundo o dirigente, a seleção argentina pode até mesmo visitar Barcelona antes da Copa do Mundo. A federação recebeu uma oferta da Catalunha para disputar um amistoso em junho, contra a equipe formada pela comunidade autônoma. Com permissão da Fifa para entrar em campo uma vez por ano, os catalães geralmente organizam uma partida em dezembro. No entanto, há exceções. Em 2002, antes de seguir rumo ao penta na Coreia do Sul e no Japão, o Brasil derrotou a Catalunha no Camp Nou por 3 a 1 – inclusive, com dois gols de Ronaldinho.

“Jorge Sampaoli disse que nos cairia bem na parte futebolística. E, para nós, é importante também economicamente. Entretanto, ainda não fechamos um acordo”, analisou o cartola. A Argentina enfrentou a Catalunha em três oportunidades na última década – 2004, 2008 e 2009. Os argentinos venceram as duas primeiras, enquanto os catalães anotaram 4 a 2 no encontro mais recente. Desde então, a comunidade autônoma espanhola encarou apenas seleções medianas de outros continentes ou os vizinhos bascos.

Por fim, Tapia confirmou os trâmites para os últimos compromissos da Argentina em território nacional. Sampaoli deseja realizar também um amistoso para observar os atletas em atividade nos clubes locais: “A despedida da seleção ante os argentinos está avançada, na Bombonera. Seria contra a Bolívia, embora também exista outra possibilidade. Por outro lado, vamos falar com os responsáveis da Superliga para adequar o calendário e convocar os jogadores locais para um novo amistoso em abril”.

A Argentina voltará a campo em março, para duelos com Itália e Espanha na Europa. Além disso, antes de estrear na Copa do Mundo, a Albiceleste já tem compromisso firmado com o Japão, seguindo para Yokohama no final de maio. A primeira partida no Mundial acontece em 16 de maio, enfrentando a Islândia em Moscou.