Leo Theyskens, presidente do Lierse, afirmou nesta sexta em entrevista à agência de notícias Reuters que o clube não é o único envolvido no escândalo de manipulação de resultados na Bélgica. Na quinta, o clube afastou dois jogadores e um membro da comissão técnica por um suposto envolvimento no caso. Hoje, o Anderlecht rescindiu o contrato de dois jogadores e o Excelsior demitiu o treinador pelo mesmo motivo.

“Este escândalo ficará maior antes de ser concluído. Absolutamente não vai parar por aqui. Há outros clubes, jogadores e pessoas envolvidas. Felizmente a verdade vencerá. Não estou dizendo que todos os outros clubes são culpados, mas a maioria dos jogadores e de outros indivíduos sim”, disse Theyskens.

Por conta de toda a repercussão do caso, o Lierse perdeu seu principal patrocinador nesta sexta. A Krefima, uma empresa do ramo financeiro, estava no clube desde 1988 e tinha um contrato válido até 2007.

“Nossos patrocinadores querem manter-se distantes de nós e precisamos respeitar isso. Mas há um custo financeiro”, afirmou Theyskens. Jean-Marie Philips, presidente da liga belga, indicou que, se fosse comprovada a culpa de algum time no escândalo, seria eliminado do campeonato.

Theyskens comentou a respeito de Paul Put, treinador do Lierse na temporada passada e um dos principais suspeitos no caso. “Ele obviamente está no centro disto tudo. Tínhamos nossas suspeitas e por isso o demitimos. Não foi apenas por conta dos resultados ruins”, afirmou o presidente do clube.