O sábado pela manhã terá uma disputa inédita pelo ouro. Duas seleções latino americanas buscam a primeira medalha de ouro olímpica. O Brasil tenta o único título que ainda não ganhou na sua vasta história de conquistas. O México já garantiu a primeira medalha no futebol, mas espera coroar a campanha com um ouro para juntar-se às conquistas recentes do time, como os mundiais sub-17 de 2005 e 2011.

O Brasil valoriza muito a Olimpíada e esse é considerado um passo fundamental para o sucesso em 2014. Não apenas porque isso dará um pouco mais de tranquilidade ao técnico Mano Menezes, que vem de altos e baixos no seu trabalho, mas porque a maior parte do time olímpico é o time principal.

O México, por sua vez, perdeu a sua maior estrela. Giovani dos Santos não estará em campo neste sábado e é um desfalque significativo. Esqueça a eterna promessa do Barcelona e o jogador pouco produtivo do Tottenham. Na seleção mexicana, Gio – como é chamado pelos torcedores da seleção – é um astro e é o protagonista de um time que costuma causar problemas ao Brasil.

Antes dos Jogos Olímpicos, inclusive, os dois times fizeram um amistoso nos Estados Unidos, no Dallas Stadium, e os mexicanos levaram a melhor por 2 a 0. Um dos gols foi justamente de Giovani dos Santos. Portanto, o Brasil pode até ser favorito pela força que tem, mas terá que tomar cuidado com um time que não tem medo de enfrentar o Brasil e venceu esse mesmo time há um mês e meio.

MÉXICO

Ele é perigoso!

Marco Fabian é um dos mais importantes jogadores da seleção do México. Certamente não é o mais famoso, mas o meio-campista é um destaque do time no torneio. Em geral, joga aberto pela esquerda vindo do meio-campo e chega com facilidade ao ataque.  Olho nele!

Caminho das pedras

O México mostrou deficiência no jogo aéreo, especialmente no jogo contra Senegal, nas quartas de final. Nos dois gols sofridos naquela partida, o jogador senegalês conseguiu subir com facilidade e cabecear para as redes. No jogo contra o Japão, o gol sofrido não foi de cabeça, mas veio de uma bola aérea que foi ajeitada de cabeça para a finalização.

BRASIL

Caminho do ouro

Em todos os jogos da Olimpíada, o Brasil fez três gols. Sim, não é média, é fato: 3 a 2 contra o Egito, 3 a 1 contra Belarus, 3 a 0 contra a Nova Zelândia, 3 a 2 contra Honduras e 3 a 0 contra a Coreia do Sul. Dos 15 gols marcados, 14 tiveram participação do trio Oscar, Neymar e Leandro Damião. É neles que o Brasil tem que apostar para levar o ouro. Principalmente Neymar, o principal jogador do time e que tem sido atuante em todos os jogos – até quando toca poucas vezes na bola.

Aí complica!

Juan é um zagueiro inseguro que pode causar muitos problemas à retaguarda brasileira. Além da sua capacidade técnica sofrível, ainda é lento e demora a fazer a cobertura pelos lados, deixando o lado do lateral Marcelo descoberto. Aliás, o buraco que os laterais deixam é outro problema. Os volantes brasileiros tem sentido dificuldades para cobrir, especialmente do lado esquerdo. A movimentação defensiva é um problema sério. E é onde o México pode complicar o Brasil.

Formações prováveis