No último jogo antes do duelo mais importante da temporada até aqui, o Paris Saint-Germain se deu ao luxo de poupar jogadores e vencer com tranquilidade o Troyes, fora de casa, por 2 a 0. Mais do que isso, levou a campo dois garotos que acabaram chamando a atenção. Um deles foi o atacante Christopher Nkunku, de 20 anos, que marcou o segundo gol do time, e o americano Timothy Weah, de 18 anos, que fez sua estreia pelo time de Paris.

LEIA TAMBÉM: Filho de Weah joga no PSG e sonha levar Estados Unidos ao título do Mundial sub-17

Com o jogo contra o Real Madrid, no próximo dia 6, em mente, o técnico Unai Emery decidiu nem levar a campo o centroavante Edinson Cavani, que sequer foi relacionado para a viagem, assim como a outra estrela do ataque, Kylian Mbappé. O time foi a campo com Ángel Di María, Nkunku e Draxler, com um meio-campo formado por Lassana Diarra – destaque do jogo –, Adrien Rabiot e Giovanni Lo Celso. A defesa foi formada por Areola no gol, Meunier na lateral direita, Thiago Silva e Kimpembé no centro e Kurzawa na lateral esquerda.

Sem seus principais jogadores de ataque – já que Neymar está machucado, além da ausência dos outros dois por opção -, o PSG teve mais dificuldade do que o esperado no primeiro tempo. O time foi pouco criativo e não parecia ter poder de fogo no ataque. Mesmo assim, os dois times chutaram muito a gol ao longo do jogo.

O primeiro gol saiu de um lance espirrado da defesa, que Draxler dominou em uma bola que veio pelo alto e tocou em profundidade para Di María. O argentino deu um toquinho por cima do goleiro, com categoria, e marcou 1 a 0 aos dois minutos do segundo tempo.

O segundo gol aconteceu aos 32 minutos. Os jogadores do Troyes reclamaram de falta não marcada, Daniel Alves pegou a bola e cruzou para a segunda trave, onde estava Nkunku. O atacante fintou a marcação e finalizou para marcar 2 a 0 para o PSG.

Entra em campo então o segundo personagem do dia: o jovem Timothy Weah. Aos 18 anos, o jogador, que defendeu as seleções de base dos Estados Unidos – ele é nascido em Nova York – ainda não tinha jogado pelo time profissional do PSG. Com a ausência de tantos atacantes no time principal, surgiu a oportunidade. Ele teve uma chance de marcar no fim do jogo, em um chute que gerou rebote e Daniel Alves marcou o gol, anulado por um impedimento do brasileiro que não aconteceu.

O mais curioso é que Nkunku é mais velho que Mbappé. O primeiro nasceu em 1997, enquanto o segundo é de 1998. Com 19 anos, ele é pouco mais de um ano mais velho que Timothy Weah, que tem 18. O seu pai, George Weah, se tornou presidente da Libéria e é, até hoje, o único africano a ter ganhado o prêmio de Melhor Jogador do Mundo dado pela Fifa, em 1995 – ano que defendia o PSG e se transferiu para o Milan.