La Liga bem que tentou barrar, mas sua recusa em receber o cheque de € 222 milhões das mãos dos representantes de Neymar – valor referente à multa rescisória do contrato com o Barcelona – foi inútil. Ainda nesta quinta, os advogados do brasileiro tomaram outro caminho legal e endereçaram o valor diretamente aos blaugranas. Assim, o Paris Saint-Germain pôde anunciar oficialmente o que já se sabia: o atacante é seu novo reforço. Assina pelas próximas cinco temporadas, se transformando no 31° brasileiro a defender o clube parisiense.

LEIA MAIS

– O réquiem de um ataque encantador: Messi, Suárez e Neymar
– Quem o Barcelona deveria contratar para o lugar de Neymar? Veja algumas opções
– Os 11 momentos memoráveis de Neymar com a camisa do Barcelona

“Estou extremamente satisfeito por chegar ao PSG”, declarou Neymar, ao site oficial do clube. “Desde a minha chegada à Europa, o clube tornou-se um dos mais competitivos e ambiciosos. O maior desafio, o que me motivou a me juntar aos meus novos companheiros de equipe, é ajudar o clube a conquistar os títulos que os torcedores sonham. A ambição do Paris Saint-Germain me conquistou, assim como a paixão e a energia que ele gera. Estou há quatro anos na Europa e me sinto pronto para o desafio. A partir de hoje, vou fazer de tudo para ajudar meu time a vencer, abrir novos horizontes ao meu clube e dar felicidade aos seus milhões de torcedores ao redor do mundo”.

E, em meio às novidades, o PSG confirmou: Neymar vestirá mesmo a camisa 10. Usará o número que já foi de Raí e Ronaldinho Gaúcho, além de Zlatan Ibrahimovic. Na última temporada, Javier Pastore se tornou o dono da 10, mas abriu mão de bom grado ao novo companheiro, retornando ao 27. “É um pequeno presente para dar as boas-vindas. Eu queria oferecer a Neymar este presente simbólico. Quero que ele se sinta feliz e em casa desde o primeiro dia. E também quero oferecer o apoio no que ele precisar, para que o time possa vencer a Liga dos Campeões”, declarou o argentino.

Além disso, Neymar publicou uma mensagem em suas redes sociais. Abaixo, a tradução:

“A vida de um esportista se move por desafios. Alguns são impostos, outros são fruto de nossas decisões. O Barcelona foi mais que um desafio. Jogava com aqueles craques do videogame. Cheguei à Catalunha com 21 anos, cheio de desafios. Eu me lembro dos meus primeiros dias no clube, compartilhando o vestiário com ídolos como Messi, Valdés, Xavi, Iniesta, Puyol, Piqué, Busquets e outros, com a expectativa de jogar em um clube que é ‘mais que um clube’. O Barcelona é uma nação que representa a Catalunha! Tive a honra de atuar com o maior atleta que vi em minha vida e estou seguro que não verei outro melhor. Messi se converteu em meu companheiro, amigo dentro e fora do campo. Orgulhoso de jogar contigo”.

“Formei um ataque com Messi e Suárez que ficou para a história. Conquistei tudo o que um esportista pode conquistar. Vivi momentos inesquecíveis. Vivo em uma cidade que é mais que uma cidade, é uma pátria. Amo Barcelona e a Catalunha”.

“Mas um esportista (eu) necessita de desafios. E pela segunda vez em minha vida, contrariei meu pai. Pai, entendo e respeito a sua opinião, mas a minha decisão está tomada, peço a você que me apoie, como sempre fez. O Barcelona e a Catalunha sempre estarão no meu coração, mas necessito de novos desafios”.

“Aceitei a proposta do PSG para buscar novas conquistas e ajudar o clube a alcançar os títulos que a torcida espera. Eles me apresentaram um plano de carreira ousado e me vejo preparado para este desafio”.

“Agradeço o carinho da torcida blaugrana e tudo o que aprendi com os esportistas com quem compartilhei o vestiário. Ainda assim, sinto em meu coração que chegou o momento de ir. O PSG será a minha nova casa durante os próximos anos e trabalharei para honrar a confiança que depositam em meu futebol. Conto muito com o apoio de todos. Dos torcedores, dos meus amigos, dos profissionais que me acompanham e da minha família, que sofreu muito com os problemas que ocorreram neste período da minha carreira e merecem paz”.

“É uma decisão difícil, mas tomada com a maturidade dos meus 25 anos. Barcelona, obrigado por tudo! PSG, cheguei! Que Deus nos abençoe e nos proteja!”