José García

Qual o melhor lugar para se criar um ídolo? A arquibancada

Poucos são os jogadores que se dedicam de coração a um clube no futebol atual. Exemplos raros que, na maioria das vezes, contam também com uma paixão que começa na infância. Francesco Totti era membro das torcidas da Roma e chegou a ser gandula no Estádio Olímpico. Steven Gerrard chegou à base do Liverpool aos nove anos. Xavi atraiu o interesse do diretor de futebol do Barcelona com apenas seis anos, mas só foi levado pelo clube aos 11. No Osasuna, pode até ser que José García não siga o exemplo desses grandes símbolos e deixe o clube para atuar em outro clube. A torcida, no entanto, nunca poderá duvidar do amor do jovem pelos rojillos.

Quando tinha apenas sete anos, García foi o personagem de um quadro do Canal+ (veja o vídeo abaixo). Sem saber de nada, o pequeno fanático do Osasuna foi filmado durante os 90 minutos de um clássico contra o Athletic Bilbao. A torcida adversária até tentou comprar o silêncio do menino que não parava. José deixou se levar pelas guloseimas oferecidas de início. Mas depois percebeu que a grande missão do torcedor é não deixar de apoiar seu time por um instante. Acreditar na vitória, mesmo que ela pareça impossível. Dar o apoio que, mesmo sem influenciar diretamente no placar, motiva os jogadores.  O garotinho subiu nas cadeiras do Estádio El Sadar, tirou a camisa, gritou demais. E, ao final da partida, não cumprimentou os que tentaram corrompê-lo.

Aquele vídeo era só um exemplo da rotina de José García no estádio. Era membro do grupo infantil dos Indar Gorri, torcida radical dos rojillos. Nove anos depois, porém, a realidade mudou. Saiu das arquibancadas para dentro do campo. Além de El Sadar, o prodígio também frequentava as categorias de base do Osasuna. E pôde fazer sua estreia no time principal em novembro de 2013, aos 16 anos, o terceiro mais jovem a vestir a camisa do clube.

Quando estava próximo a se profissionalizar, García deixou a organizada. Que continuou a apoiá-lo, levando até mesmo uma faixa para o dia de sua estreia. O meia pisou pela primeira vez em campo no segundo tempo da derrota para o Almería em La Liga e, depois disso, ainda participou de mais quatro partidas pela Copa do Rei. Talvez o garoto não vingue no clube. E os motivos podem ser os mais variados. Só não podem acusar a falta de compromisso de José. Algo que ele aprendeu a ter desde pequeno e que cria um laço ainda maior entre torcida e time.

Abaixo, o famoso vídeo do ‘hooligan’ José García e também uma matéria sobre sua estreia do Osasuna:

Créditos da montagem: www.moiceleste.com