1989-gremio

[Copa do Brasil] Fizemos as contas e mostramos quais os times mais copeiros da história da Copa do Brasil

A Copa do Brasil chega a sua 26ª edição em 2014. Um torneio mais do que consolidado e que, com a reintegração dos clubes que também disputam a Libertadores, só tende a ganhar ainda mais relevância no cenário nacional. É certo que a impossibilidade de se defender o título durante os anos 2000 tornou a rotatividade de campeões bem maior. Ainda assim, há quem mereça o rótulo de ‘copeiro’ por seus feitos na competição nacional.

Grêmio e Cruzeiro são os primeiros a reivindicar essa posição. Afinal, ambos levantaram a taça quatro vezes cada e estiveram presentes em 11 das 15 primeiras finais – inclusive, fazendo a decisão de 1993, vencida pelos mineiros. Uma hegemonia que acabou há mais de 10 anos. A partir de 2003, nenhum dos dois clubes voltou à final. As seguidas classificações à Libertadores ajudam a responder parte desta queda de rendimento. Entretanto, os favoritos passaram a cair contra rivais de bem menos tradição, como Paulista e 15 de Campo Bom, enquanto os tricolores já acumulam três eliminações consecutivas nas semifinais.

Já os últimos anos coincidiram com a afirmação de Flamengo e Corinthians. Mesmo sem ficar com o título tantas vezes, os dois clubes mais populares do país praticamente se revezaram no topo da Copa do Brasil. Somente cinco das últimas 13 edições não tiveram os rubro-negros ou os alvinegros na decisão, por mais que um Santo André ou um Sport aparecesse pelo caminho. E mesmo que as idas à Libertadores frequentes da dupla tenham influenciado nessa trajetória.

Claramente, os quatro clubes formam uma espécie de elite da Copa do Brasil, dominam a competição. Palmeiras e Vasco, mesmo com um bom número de campanhas longas no torneio, aparecem consideravelmente abaixo na lista. E o restante dos times compõe uma grande massa. Entre os ‘grandes’, Fluminense, Santos e Internacional ocupam posições intermediárias.

Para tentar visualizar qual o tamanho dessa imposição, assim como quem aparece mais à frente, é que resolvemos bolar um ranking histórico do torneio, considerando todos os times que pelo menos uma vez apareceram entre os quatro melhores do certame. Pode não ser a resposta perfeita para a interrogação, mas conta com alguns pontos que nós achamos interessantes. Qual o clube mais copeiro da Copa do Brasil? Confira o ranking e entenda cada um dos critérios considerados. E, se você tiver sugestões, serão todas muito bem-vindas nos comentários.

Top 20 do Ranking Trivela da Copa do Brasil

1º – Grêmio
2º – Flamengo
3º – Cruzeiro
4º – Corinthians
5º – Palmeiras
6º – Vasco
7º – Fluminense
8º – Santos
9º – Sport
10º – Internacional
11º – São Paulo
12º – Goiás
13º – Criciúma
14º – Botafogo
15º – Coritiba
16º – Atlético Mineiro
17º – Brasiliense
18º – Juventude
19º – Ceará
20º – Vitória

* No ranking final, só foram considerados os clubes com pelo menos 10 participações na Copa do Brasil

Total de pontos

Como foi feita a soma: Foram considerados quatro critérios diferentes (títulos, ranking por colocação, presença entre os quatro melhores e vitórias). O melhor time em cada um deles recebeu pontuação máxima, 10, enquanto os outros foram pontuados proporcionalmente – por exemplo, em ‘títulos’, os tetracampeões receberam 10 pontos, enquanto três conquistas renderam 7,5 pontos e dois, 5 pontos. O total somou a pontuação de cada critério, com o máximo possível de 40 pontos.

Títulos

Qual o critério: Quanto mais títulos, maior a pontuação. Foram 10 pontos para gremistas e cruzeirenses, tetracampeões, e proporcional aos outros.

A elite da Copa do Brasil se destaca principalmente neste quesito. Grêmio e Cruzeiro construíram seus legados principalmente durante a década de 1990. Foi por esse caminho, inclusive, que gaúchos e mineiros iniciaram suas trajetórias de seus últimos títulos na Libertadores – em 1994 e 1996, respectivamente. Já nos anos 2000, embora a taça tenha passado por mais mãos, Flamengo e Corinthians aparecem como mais dominantes, com três títulos cada. O Palmeiras soma dois títulos, enquanto outros nove clubes foram campeões uma vez. Neste critério, os mais prejudicados são Botafogo, São Paulo e Atlético Mineiro – e o Galo é o único dos ’12 grandes’ que nunca chegou nem à decisão.

Ranking por colocação

Qual o critério: Uma avaliação histórica sobre as participações dos clubes na Copa do Brasil. Foram atribuídos 10 pontos por cada vez que o clube foi campeão; 5 pontos por cada vice; 2 pontos por cada vez em que caiu nas semifinais; e 1 por cada eliminação nas quartas. No final, quem somasse mais pontos ficaria com a nota máxima no geral e o restante, proporcional.

O Grêmio sobra aqui. Afinal, os tricolores estão entre os líderes de títulos e vices, presentes em sete finais da Copa do Brasil. Com uma taça a menos, o Flamengo aparece logo atrás. E são justamente os vices e as quedas nas semifinais que fazem os rubro-negros aparecerem à frente do Cruzeiro. A Raposa é tetracampeã, mas só em outras três edições apareceu pelo menos nas quartas de final – o típico time de chegada. Se o Vasco só tem um título, ganha posições pela quantidade de vezes em que caiu nas semifinais, seis no total. Já Atlético Mineiro e São Paulo, apesar dos fracassos já mencionados, sobem na lista pelas vezes em que foram eliminados nas quartas: dez e oito, respectivamente, mais do que quaisquer outras equipes.

Presença entre os quatro melhores

Qual o critério: A porcentagem de vezes que o time chegou às semifinais pelo total de participações. A maior proporção vale o máximo de pontos. Assim, os times que estiveram poucas vezes na Copa do Brasil, mas marcaram época, são beneficiados. Dez pontos para a maior porcentagem e proporcional para o resto.

O Flamengo é o time que, tradicionalmente, costuma mais aparecer entre os melhores da Copa do Brasil. Em 17 participações, os rubro-negros estiveram entre os quatro melhores em dez oportunidades – e só em duas caíram antes das quartas de final. Uma notável marca de 58,8%. O Grêmio até teve mais presenças em semifinais, 11 no total, mas o maior número de participações na Copa do Brasil cai para 55%. Paulista e XV de Campo Bom, que ficaram entre os quatro melhores uma vez, com apenas duas presenças no torneio, também aparecem bem. O restante dos times está abaixo dos 36% – o pior entre os grandes, de longe, é o Atlético Mineiro, que mesmo sendo o clube com mais participações na Copa do Brasil, 24, só foi semifinalista duas vezes.

Vitórias

Qual o critério: Pegar o percentual de vitórias entre o total de jogos que o clube disputou na Copa do Brasil. Quanto maior o percentual, melhor. O time com aproveitamento mais positivo ganha 10 pontos, proporcionalmente para o resto.

O Flamengo é o único time que tem mais de 60% de vitórias na Copa do Brasil, um número excelente. O Palmeiras também aparece bem na lista, em segundo. E, na terceira colocação, uma surpresa: o São Paulo, que atropela nas fases iniciais, mas acumula fracassos nas etapas mais agudas – e o número baixo de partidas, com as muitas participações na Libertadores, também ajuda. O Grêmio é apenas o sexto, atrás de 15 de Campo Bom e Santos. E o Cruzeiro, o 10º, apenas uma posição à frente do Atlético Mineiro. Neste ponto, fica claro com as vitórias dos cruzeirenses costumam ser bem mais decisivas do que as dos rivais. O pior entre os grandes é o Botafogo, logo atrás de Goiás, Sport e Coritiba.

VEJA TODAS AS MATÉRIAS DO ESPECIAL SOBRE A COPA DO BRASIL