Dez pontos à frente do Olympique de Marselha, o Paris Saint-Germain não tivera derrota alguma, em seus 15 jogos já disputados no Campeonato Francês (eram 13 vitórias e dois empates). Indo visitar o Strasbourg, na 16ª rodada da Ligue 1, era de se esperar um jogo tranquilo do PSG, certo? O Strasbourg mostrou que não. Aguentou a pressão, aguentou drama, aguentou o que podia. Mas quando foi para atacar, foi preciso: teve duas chances para chutar, acertou as duas, e fez 2 a 1, impondo a primeira derrota ao poderoso time parisiense nesta temporada da liga francesa – apenas a segunda, para um time recém-promovido da Ligue 2, desde 2011/12.

Como previsível, a posse de bola era massiva a favor dos visitantes. Mas, quase do nada, veio o primeiro gol no Stade de la Meinau – e não era do time amarelo, a cor do segundo uniforme do PSG. Era do azul, do Strasbourg: da esquerda, Dimitri Liénard lançou para a área, e Nuno da Costa saiu livre, cabeceando na saída desastrada do goleiro Alphonse Aréola para balançar as redes e empolgar a torcida. Sim, o Paris Saint-Germain estava em desvantagem.

Claro, as chances do time de Unai Emery começaram a se avolumar, na busca do empate. Aos 17, Kylian Mbappé completou cruzamento de Javier Pastore, por cima do gol; mais um minuto, e o arremate de Julian Draxler saiu rente à trave esquerda do goleiro Bingourou Kamara. Mais para o final do primeiro tempo, Ángel di María teve duas chances para igualar, aos 39 e aos 41, mas pegou mal na bola, em ambas (foram com o pé direito). De tanto bater, uma hora o PSG furou. Foi aos 43 minutos, em rápida triangulação: de Pastore para Adrien Rabiot, que avançou pela esquerda e cruzou rasteiro, para Mbappé chegar e finalizar forte, fazendo 1 a 1.

Parecia o começo da inexorável virada da equipe parisiense. No segundo tempo, Neymar tentou chute aos oito minutos – passou por cima do travessão de Kamara. Aos 15, Yuri Berchiche teve a chance, num cabeceio. E novamente, quando o Paris tinha o controle, o Strasbourg aproveitou sua chance com eficiência invejável. Aos 19 minutos, Kamara cobrou longo tiro de meta, Nuno da Costa desviou com a cabeça, e Stéphane Bahoken chegou na frente da marcação do PSG para chutar forte e fazer o 2 a 1.

Dali por diante, foi o esperado: ataque contra defesa. O PSG buscou o gol incansavelmente. O drama do Strasbourg aumentou aos 25 minutos: após disputa de bola, Kamara sentiu dores, e teve de dar seu lugar no gol a Alexandre Oukidja. Unai Emery pôs Edinson Cavani em campo, além de Giovani Lo Celso, e o PSG monopolizou a área nos minutos finais. Para aumentar a ansiedade da torcida, foram nada menos que nove minutos de acréscimo, em razão do atendimento a Kamara, o goleiro lesionado. Mas o Strasbourg se segurou. E pôde sair de campo com a enorme honra de dizer que foi o primeiro clube desta temporada a impor uma derrota ao Paris Saint-Germain.