Não tem como justificar essa entrada do meia-atacante Rubén Rayos, do Maccabi Haifa, no colega Rafi Dahan, do Bnei Yehuda, no empate por 2 a 2 entre os clubes de Israel, no último domingo.

Rayos, ex-jogador do Barcelona B no país judaico desde o ano passado, entrou com os dois pés bem no joelho de Yehuda, que teve a perna praticamente partida ao meio.

Yehuda casaria-se daqui a três semanas, mas teve que adiar a cerimônia. Um incômodo irrelevante perto do tempo de recuperação que terá pela frente, ainda incerto, mas, pelas imagens, se conseguir voltar a jogar futebol, já será uma vitória. “Rayos tentou encerrar minha carreira. Nunca vou perdoá-lo. Foi um crime”, disse, conversando com a imprensa depois do atentado.

No Vietnã, um jogador pegou 28 jogos de suspensão por causa dessa entrada aqui. Quantos Rubén Rayos merece?