Há quem diga que a história é cíclica. De tempos em tempos, se repete. Por alguns segundos, isso deve ter passado pela cabeça dos jogadores do Manchester United, que quase sofreram um acidente de avião ao aterrissarem em Colônia, na Alemanha, para a partida desta quarta-feira contra o Bayer Leverkusen pela Liga dos Campeões.

Alemanha? Avião? Acidente? Liga dos Campeões? Pois é. Parecido com 1958, quando oito jogadores do time de Matt Busby morreram no desastre aéreo de Munique na terceira tentativa de decolagem do piloto da aeronave que levava o Manchester United de volta à Inglaterra, após um jogo da então Copa dos Campeões contra o Estrela Vermelha, em Belgrado.

Desta vez, o avião estava a 400 metros do solo quando o piloto avistou outra aeronave na pista. A reação foi rápida. Ele interrompeu a queda, impediu o choque e levantou o avião. Circulou por dez minutos e depois aterrissou normalmente, segundo o jornal inglês Daily Express.

Se você acredita em destino e coisas desse tipo, o susto aconteceu um dia depois da morte de Bill Foulkes, um dos sobreviventes do desastre aéreo. Nesta quarta, contra o Leverkusen, os jogadores do United vão usar uma braçadeira preta em sinal de luto. E de alívio.