Quando a fase é ruim, nada dá certo. O Bournemouth chegou ao oitavo jogo sem vitória na temporada de uma maneira muito cruel. Conseguiu o empate contra o Chelsea, nas quartas de final da Copa da Liga Inglesa, aos 44 minutos do segundo tempo, apenas para sofrer o segundo gol na saída de bola e acabar perdendo por 2 a 1.

LEIA MAIS: Coutinho abriu a contagem com um golaço, e o Liverpool não teve trabalho com o Bournemouth

Como costuma acontecer nessas partidas, os técnicos promoveram mudanças nos times titulares. Antonio Conte manteve Hazard, Morata e Bakayoko no banco de reservas para usar apenas se fosse preciso – e foi. Eddie Howe mudou sete jogadores em relação à equipe que foi goleada pelo Liverpool, por 4 a 0, no domingo.

Uma das novidades do Chelsea foi o brasileiro Kennedy, que participou da jogada do primeiro gol. Deu o toque de calcanhar para Fàbregas entrar na área e rolar para Willian fazer 1 a 0. Em seguida, quase ampliou em jogada individual. A partida parecia controlada para o atual campeão inglês, mas desandou no segundo tempo.

O Bournemouth foi ficando cada vez mais perigoso com o decorrer do tempo, e Conte teve que colocar seus titulares em campo. Bakayoko e Hazard entraram aos 16 minutos da etapa final. Morata, pouco depois. E quando o cronômetro já se preparava para começar a contar os acréscimos, Gosling empatou com um belo chute da entrada da área.

Mas, na saída de bola, o Chelsea encontrou Morata no campo de ataque. A bola passou pelo atacante espanhol e chegou a Hazard, que abriu o espaço, puxando para a direita, e deixou de calcanhar para Morata. Frente a frente, o artilheiro azul tocou de bico, por baixo do goleiro, e decretou mais uma noite de cabeça inchada para o Bournemouth.

.