Germany Soccer WCup

Ranking: As 10 ausências por lesão mais sentidas da Copa de 2014

A série de amistosos preparatórios para a Copa do Mundo praticamente cessa a partir desta semana. Acontecerão apenas mais alguns jogos, mas a maioria dos testes finais das 32 seleções para o Mundial do Brasil já passaram. Um alívio tremendo para torcedores e para os próprios jogadores, diante das péssimas notícias que se renovavam a cada dia. O grupo de craques cortados da competição é vasto, e formaria uma equipe capaz de disputar a taça.

Veja também: Vai ter Copa, e vai ter Trivela por toda a parte para trazer o melhor dela para você

Segundo levantamento feito pelo blog do PVC, até domingo o número de jogadores de fora da Copa por causa de contusões chegou a 42. Alemanha, Colômbia e Holanda eram os mais prejudicados, com cinco ausentes. E, mesmo entre os presentes, a situação não parece tão boa. Jogadores importantíssimos, como Cristiano Ronaldo, Bastian Schweinsteiger e Luis Suárez, estão baleados pelos problemas físicos, enquanto outros como Lionel Messi e Neymar tentam chegar ao ápice após períodos consideráveis de recuperação.

Quais as perdas mais lamentadas da Copa de 2014? Abaixo, montamos um ranking com 10 jogadores importantes que não disputarão o Mundial por causa de contusões. Optamos em listar apenas um por país, para dimensionar melhor o tamanho dos problemas em diferentes países – e, por isso mesmo, nomes notáveis como os de Montolivo, Gündogan, Perea e Victor Valdés ficaram de fora. A qualidade técnica dos nomes citados contou na ordem, mas o protagonismo de cada um desses atletas em suas seleções também foi determinante. Confira:

1º – Radamel Falcao García

Falcao García, atacante da Colômbia

A perda de Falcao García aparece no topo dessa lista principalmente pela expectativa que se criou. A luta do atacante para se recuperar da contusão no joelho passou a ser acompanhada de perto não apenas pelos colombianos, como também por torcedores em todas as partes do mundo. Uma corrente de fé que pareceu dar resultado quando o craque foi pré-convocado por José Pekerman. E que se quebrou a partir do anúncio de seu corte. Os cafeteros têm ótimas opções para ocupar o seu espaço, mas nenhum apto para se equivaler à estrela do camisa 9 – afinal, contam-se nos dedos (e de uma mão) os centroavantes tão bons quanto El Tigre.

2º – Marco Reus

Reus

Por tudo o que vinha jogando nesta reta final de temporada, Marco Reus chegaria à Copa do Mundo como fortíssimo candidato ao prêmio de melhor jogador. Era a esperança da Alemanha para assumir o protagonismo e quebrar a sequência de eliminações doloridas em grandes competições. Ficará para a Rússia, em 2018. A contusão nos ligamentos do tornozelo tirou o atacante da competição, embora Joachim Löw tenha boas opções para a reposição: Lukas Podolski saiu do banco marcando gol e dando assistências no amistoso contra a Armênia, enquanto Julian Draxler corre por fora. Entretanto, nenhum está no nível de Reus atualmente.

3º – Franck Ribéry

Ribéry foi cortado da Copa do Mundo de 2014 (Foto: AP)

O mais bem colocado na Bola de Ouro de 2013 a perder a Copa do Mundo. Ribéry não estava jogando no mesmo nível do ano passado, quando foi apontado o terceiro melhor jogador do mundo. Ainda assim, era importantíssimo para a seleção francesa, por ser o principal valor individual na equipe de Didier Deschamps. A dependência do meia nos últimos jogos era menor do que nas Eliminatórias, mas ainda fará falta – também pela experiência que também garante, um dos remanescentes do vice-campeonato dos Bleus em 2006. Em compensação, Antoine Griezmann tem tudo para ocupar sua posição no time e estourar no Mundial.

4º – Kevin Strootman

Strootman era peça-chave na seleção holandesa (AP Photo/Peter Dejong)

O motor da Holanda era Kevin Strootman. Tanto que Louis van Gaal mudou a tática da equipe a partir da perda do meio-campista. O jogador da Roma é completo, dando força ao combate na intermediária e qualidade no passe para a saída de bola. Era o ponto de equilíbrio entre a frágil defesa holandesa e os medalhões que o time conta no ataque. Sem Strootman, o provável substituto será Jonathan De Guzmán, embora Jordie Clasie venha ganhando moral para assumir responsabilidades maiores.

5º – Giuseppe Rossi

Giuseppe Rossi está fora da Copa do Mundo pela Itália (Foto: AP)

Giuseppe Rossi já tinha passado por uma grande frustração ao perder a Copa de 2010. Um calvário enorme com as seguidas lesões no joelho, que o deixaram mais de um ano sem sequer jogar. E os problemas físicos que voltaram a assombrá-lo custaram a vaga no Mundial do Brasil. O atacante da Fiorentina surgia como o parceiro ideal para Mario Balotelli no esquema de Cesare Prandelli e não possui um substituto à altura ou com características similares. O veterano Antonio Cassano foi quem ganhou mais espaço com a perda, assim como o garoto Ciro Immobile, em fase excelente. Pode ser uma surpresa entre os titulares.

6º – Theo Walcott

Walcott e o gesto da discórdia para a torcida do Tottenham

A primeira Copa do Mundo de Walcott foi a de 2006. Chegou à Alemanha como uma promessa e gerou até questionamentos sobre sua presença. Mais maduro, tinha tudo para ser um dos titulares da Inglaterra no Mundial da África do Sul, mas ficou de fora após se contundir. Um filme que se repetiu em 2014. O ponta do Arsenal talvez não fosse um dos protagonistas dos Three Lions, mas despontava como uma peça de valor no time de Roy Hodgson. Desfalca um setor que também perdeu Andros Townsend e Jay Rodríguez.

7º – Thiago Alcântara

Thiago Alcântara, do Bayern de Munique (AP Photo/Frank Augstein)

Uma das maiores interrogações sobre o desempenho da Espanha na Copa do Mundo recai sobre Xavi. O relógio do tiki-taka passa longe de sua melhor forma e, por isso, o jogo da Fúria não mantém a mesma eficiência de outrora. Voando com o Bayern de Munique, Thiago Alcântara era um dos principais candidatos a assumir a função, ainda que tivesse que mostrar trabalho nos treinamentos para ganhar a confiança de Vicente Del Bosque. Não teve nem mesmo essa chance, ao ter recaída em lesão no joelho.

8º – Álvaro Saborío

saborio

Dentre os cortados para a Copa do Mundo, Saborío não é dos nomes mais lamentados. Porém, a representatividade do atacante para a Costa Rica é imensa, uma das principais referências ofensivas dos Ticos. O jogador do Real Salt Lake marcou oito gols na campanha da equipe nas Eliminatórias e também tinha deixado sua marca no amistoso contra o Paraguai, em março. Sua ausência torna ainda mais difícil a missão dos costarriquenhos no Grupo D. Ao seu lado, Brian Oviedo é outra perda sensível ao elenco.

9º – Roman Shirokov

shirokov

Em questão de liderança, nenhuma ausência se equipara à de Roman Shirokov, capitão da seleção russa. Mais do que um nome importante para dar consistência ao meio-campo da equipe, o jogador do Krasnodar era o principal porta-voz do técnico Fabio Capello. Mais do que a perda de qualidade técnica, o veterano tinha uma experiência que poderia ser valiosa à Rússia, um dos poucos remanescentes do time que chegou às semifinais da Euro 2008.

10º – Christian Benteke

Benteke

O ataque da Bélgica continua tendo boa referência com Romelu Lukaku. No entanto, Benteke potencializava o setor não apenas por ter mais rodagem, como também por possibilitar variações táticas a Marc Wilmots. E os lamentos sobre a sua ausência aumentaram desde o último amistoso dos Diabos Vermelhos, quando Lukaku sentiu lesão e deixou o campo mancando. Ao menos o problema do camisa 9 não deverá tirá-lo da Copa do Mundo.

Você também vai se interessar por:

>>> O quanto a ausência de Falcao pesa para a Colômbia na Copa?

>>> O corte de Reus deixou uma ferida profunda na Alemanha, mas a cicatrização pode não tardar tanto

>>> Deschamps corta Ribéry e não arrisca um novo caso Zidane

>>> A questão física pesou, e Rossi vai enfrentar mais uma frustração

>>> A ausência de Strootman força a Holanda a escolher: volante brucutu ou mais técnico?