A bola ainda nem tinha rolado para o Boxing Day, mas o noticiário futebolístico começou fervendo logo nas primeiras horas do dia. O The Sun publicou nesta segunda a informação de que a Red Bull estaria interessada em abrir sua filial também na Inglaterra. E não exatamente começando do zero: seu alvo seria o West Ham. Segundo o tabloide, a multinacional austríaca teria intenção de desembolsar £200 milhões pelos Hammers, em negócio motivado principalmente após a mudança para o Estádio Olímpico de Londres. Contudo, diante da repercussão, os dirigentes do clube trataram de negar qualquer possibilidade.

Conforme apontado pela BBC e pela Sky Sports (bem mais confiáveis que o Sun), os donos do West Ham não desejam vender o clube neste momento – e não teriam sido nem mesmo contatados. David Gold e David Sullivan possuem 85% das ações e até já se mostram abertos a negociar parte delas, para quitas as dívidas dos Hammers, mas não a ponto de passar o controle a uma empresa como a Red Bull. Ambos chegaram ao comando dos londrinos em janeiro de 2010, através de uma transação avaliada em £105 milhões. Desde a ida para o Estádio Olímpico, empresas catarianas e chinesas já sondaram os dirigentes.

Por outro lado, esta não é a primeira vez que a Red Bull tem sua chegada ao futebol inglês especulada. Segundo a imprensa local, a gigante dos energéticos já teria se aproximado anteriormente de Leeds United, Brentford, Charlton Athletic e Swindon Town. Contudo, nunca os negócios saíram do papel. Atualmente, a Red Bull possui cinco filiais futebolísticas pelo mundo: Salzburg, Leipzig, Nova York, Brasil (em Campinas) e Gana (em Sogakope).

Embora o West Ham planeje ampliar os seus laços comerciais a partir da mudança para o Estádio Olímpico, a informação publicada pelo The Sun causou uma reação negativa em boa parte dos torcedores. O temor era de que a aquisição pudesse desfigurar os símbolos do clube, com a adoção dos emblemas da empresa. Vale ressaltar, no entanto, que o único clube tradicional adquirido pela Red Bull foi o antigo Austria Salzburg. Em reação, torcedores apegados às raízes fundaram posteriormente outro time, que chegou a disputar a segunda divisão do Campeonato Austríaco na temporada passada.