A liderança na segunda divisão inglesa nunca foi tão folgada para o Reading. Nos 33 primeiros jogos da temporada 2005/6, o time conseguiu 53 gols positivos de saldo e sofreu apenas uma derrota, abrindo 12 pontos de vantagem sobre o vice-líder Sheffield United. Nunca a primeira divisão esteve tão perto da realidade para esse clube de 135 anos de existência.

Fundado em 1871, disputou sua primeira partida contra o time da escola de gramática de Reading, um embate terminado sem gols. Disputava suas primeiras partidas em campos de recreação e críquete da cidade, até se profissionalizar em 1895. A necessidade de um campo oficial ocasionou a construção do Elm Park, estádio que sediou jogos do clube até 1998. O Reading disputa a FA Cup desde 1876, antes mesmo do profissionalismo, sendo ao lado do Notts County o clube com mais tempo de participação.

Por muito tempo, o Reading foi um clube de aspirações regionais, não conseguindo sequer uma estabilidade nas divisões inferiores. Entretanto, era muito difícil vencê-lo em seus domínios – o clube chegou a ficar invicto em casa por 55 partidas consecutivas, na década de 30. Em 1926 o clube chegou à segunda divisão inglesa, após uma incrível vitória de 7 a 1 sobre o Brentford na final da terceira divisão. No ano seguinte, o Reading foi semifinalista da FA Cup, sendo derrotado pelo Cardiff – foi a melhor colocação do clube no torneio. No ano de seu centenário, 1971, o Reading foi rebaixado para a quinta divisão.

Em 1983, o clube quase deixou de existir, quando foi rebaixado para a quarta divisão e quase teve de vender seu estádio. Mas, em 1986, conseguiu voltar à segunda divisão. Esse período trouxe a maior glória conquistada pelo clube: a vitória na Full Members Cup, uma competição criada pela Football Association para compensar a expulsão dos ingleses das copas européias, após o desastre de Heysel. Em 1988, o Reading venceu o Luton por 4×1 no estádio de Wembley lotado.

A chegada de Madejski

Em 1990, endividado e sem perspectivas, o Reading foi comprado pelo empresário John Madejski, especialista nos ramos hoteleiro e editorial, que prometeu transformar o Reading numa potência do ‘futebol atraente’. Em 1995, o time conseguiu um segundo lugar na segunda divisão. Entretanto, como a Premier League estava diminuindo o número de clubes, a federação estabeleceu que apenas o primeiro colocado obteria a promoção direta. O Reading tornou-se o único clube na história da competição a terminar em segundo mas não ser promovido automaticamente, tendo de disputar os playoffs – onde acabou eliminado.

Em 1998, foi inaugurado o Madejski Stadium, a nova casa do Reading. No mesmo ano, o clube foi rebaixado para a terceira divisão. A torcida protagonizou uma daquelas cenas de fidelidade típicas do futebol inglês: no último jogo do Elm Park, estádio que sediou jogos do clube por 103 anos, os fãs ignoraram o já confirmado rebaixamento e lotaram o estádio, fazendo uma grande festa de despedida. A temporada 2001/2 marcou a volta do time à segunda divisão, com Jamie Cureton como herói, marcando o gol do empate que classificou o time sem precisar dos playoffs.

Em 2003, o Reading chegou aos playoffs da segunda divisão, sendo eliminado pelo Wolverhampton na primeira fase. Para a torcida, já estava bom demais, uma vez que fora recém promovido. Hoje, o time que conta com Marcus Hahnemann, Steve Sidwell e Dave Kitson está muito perto de realizar o maior sonho da sua torcida: a inédita promoção para a primeira divisão.