Depois de um primeiro tempo monótono, que teve no belo gol de Kaká o único grande momento, os reservas do Brasil garantiram o show deste sábado contra os Emirados Árabes, em Abu-Dhabi. No final, 8 a 0, com sete gols saídos no segundo tempo, na maior goleada da Seleção desde que Carlos Alberto Parreira assumiu o time, em 2002.

Enquanto os titulares foram apáticos, aqueles que ainda brigam por uma vaga na equipe que vai à Alemanha correram muito no pouco tempo em que estiveram em campo.

Gustavo Nery, que entrou no intervalo, sofreu pênalti, convertido por Adriano aos 8 minutos. Pouco depois, Fred, que ganhou lugar no time depois da contusão de Ricardo Oliveira, chutou forte de fora da área e ampliou a vantagem. Depois foi a vez de Lúcio aproveitar escanteio cobrado por Juninho Pernambucano e marcar de cabeça.

O meia do Lyon marcou duas vezes, aos 25 e aos 35, enquanto seu companheiro de clube, Fred, também chegou ao segundo aos 40. O oitavo gol foi marcado por Cicinho, nos acréscimos, depois de cobrança de falta rápida de Ricardinho.

Ao final do jogo, com o sorriso estampado no rosto, Carlos Alberto Parreira comentou em tom jocoso: “O treinador mexeu muito bem no segundo tempo.”