O futebol do bloco comunista europeu exerceu, por décadas, um fascínio no Ocidente. Havia craques, havia equipes competitivas, e havia a sensação de que eles sabiam alguma coisa que oresto do mundo não sabia. Métodos científicos de descobrimento, formação e treinamento de atletas, sistema de organização que permitia que os jogadores se juntassem em clubes artificiais mantidos pelo governo. Era tudo estranho, e conhecia-se pouco naquela época em que a informação não corria com tanta liberdade quanto hoje.

Veja tudo aqui.