Cristiano Ronaldo marcou muitos gols para vencer a Bola de Ouro de 2013. Mas não conquistou nenhum título. O rei dos troféus naquela temporada foi o Bayern de Munique, campeão da Tríplice Coroa sob o comando de Jupp Heynckes e liderado, em campo, por Franck Ribéry, considerado por muitos o melhor jogador daquele ano. Mas não pelo prêmio naquela ocasião ainda concedido pela Fifa e pela revista France Football.

LEIA MAIS: Müller e James comemoram pausa de inverno, enquanto Inglaterra segue sofrendo

Ribéry levou 23,36% dos votos e ficou em terceiro lugar, atrás de Messi e de Ronaldo. O que ele considera uma injustiça continua palpável. Em entrevista ao Canal Football Club, o jogador afirmou que sente que a Bola de Ouro lhe foi roubada e que o motivo de tê-la perdido para Ronaldo foi não ter recebido apoio suficiente em seu próprio país.

“É como se tivesse sido roubada de mim”, disse Ribéry. “É incompreensível. Eu ganhei todos os troféus. Não poderia ter feito mais. Foi uma injustiça. Eu não tive meu país me apoiando. Eu vi com meus próprios olhos os franceses dizerem que Cristiano deveria vencer. Os portugueses queriam dá-la para Ribéry ou Messi? Claro que não”.

Segundo Ribéry, ainda há rancor em relação ao seu papel na conturbada Copa do Mundo de 2010, quando os jogadores entraram em greve contra o técnico Raymond Domenech. “Em 2010, precisavam de alguém para culpar. Todos na França acreditavam que eu era o problema, até os meus pais. Eu não consigo esquecer algumas ações de certa imprensa francesa. É uma cicatriz que continua comigo. Foi demais para mim”, encerrou