Robin van Persie terá poucas lembranças positivas de sua estreia no Manchester United. Na noite do debute do artilheiro, o protagonismo ficou com a força coletiva do Everton. Empurrados pela torcida no Goodison Park, os Toffees se impuseram para alcançar vitória contundente por 1 a 0, que fechou a primeira rodada da Premier League 2012/13.

Apesar da ausência de gols, não faltaram emoções durante o primeiro tempo da partida. O confronto começou bastante aberto, com boas chances dos dois lados do campo. A superioridade foi do Everton, se destacando pelas boas sequências de passes. Além disso, os Toffees aproveitaram bastante o lado direito da defesa do United, onde Valencia atuava como lateral e Carrick aparecia improvisado na zaga.

Não por menos, Pienaar e Baines tiveram papel crucial para o sucesso do Everton. A dupla criou oportunidades claras para a equipe, que só não foram anotadas por conta da noite inspirada de David De Gea. O goleiro fez ao menos três defesas importantes nos 45 minutos iniciais, enquanto a trave barrou chute de Fellaini. Do outro lado, as melhores chances vieram com Rooney, parado duas vezes por Tim Howard.

Durante o segundo tempo, o Manchester United voltou atento no ataque, especialmente pela movimentação de Rooney e Welbeck. Entretanto, o Everton permanecia mais contundente nos arremates e, depois de carimbar o travessão novamente com Osman, finalmente marcou o gol da vitória com Fellaini.

Aos 22 minutos, van Persie ganhou sua primeira chance com Alex Ferguson, substituindo Welbeck. Entretanto, o holandês pouco ajudou, pegando na bola apenas 13 vezes e sequer conseguindo finalizar. Os visitantes até pressionaram, sem conseguir passar pela forte marcação do Everton.

Destaque do jogo

O entrosamento do Everton. Depois de terminar a Premier League 2011/12 em ascensão, os Toffees confirmaram que a boa fase foi mantida. David Moyes escalou a equipe em um funcional 4-4-1-1, com qualidade nas investidas pelas laterais e muita movimentação. Fellaini se destacou na aproximação com o ataque. Além disso, a coesão das duas linhas também fizeram a diferença na proteção defensiva.

Momento-chave

A bola salva por Phil Jagielka, aos 22 do segundo tempo. No lance anterior à entrada de Van Persie, o Manchester United poderia ter empatado. Kagawa dominou na frente de Howard e passou para Cleverley. Apesar de não contar com o goleiro pela frente, o volante viu seu chute bloqueado em cima da linha por Jagielka, que já tinha realizado dois desarmes essenciais em lances anteriores.

O gol

12’/2T – GOL DO EVERTON! Cobrança de escanteio precisa de Darron Gibson. Marouane Fellaini saiu da marcação de Michael Carrick e cabeceou longe do alcance de David De Gea.

Ficha técnica

Everton 1×0 Manchester United

Local: Goodison Park, em Liverpool (ING)
Data: 20/ago, segunda-feira
Árbitro: Andre Marriner (ING)
Gol: Marouane Fellaini, aos 12’/2T
Cartões amarelos: Paul Scholes e Nani (Manchester United)

Everton
Tim Howard, Tony Hibbert, Phil Jagielka, Sylvain Distin e Leighton Baines; Leon Osman (Seamus Coleman, aos 35’/2T), Phil Neville, Darron Gibson e Steven Pienaar; Marouane Fellaini (John Heitinga, aos 47’/2T) e Nikica Jelavic (Steve Naismith, aos 44’/2T). Técnico: David Moyes.

Manchester United
David De Gea, Antonio Valencia, Michael Carrick, Nemanja Vidic e Patrice Evra; Paul Scholes, Tom Cleverley (Anderson, aos 40’/2T), Nani (Ashley Young, aos 33’/2T) e Shinji Kagawa; Wayne Rooney e Danny Welbeck (Robin van Persie, aos 22’/2T). Técnico: Alex Ferguson.