O termo vingança passou longe do Nou Camp depois do empate por 1 a 1 com o Chelsea. O resultado classificou o Barcelona para as quartas-de-final da Liga dos Campeões, e o time devolveu a eliminação do ano passado para os Blues. Para variar, José Mourinho não deixou de soltar suas ironias.

Apesar do gostinho especial por ter eliminado o rival, Ronaldinho não falou em vingança. “Vencer um time com um grande treinador sempre te deixa realmente feliz. Não há nada melhor do que sair vencedor de uma partida como essa. A vingança não estava nas nossas mentes”, afirmou o jogador, autor do gol do Barça.

Frank Rijkaard exaltou a classificação da equipe e se mostrou bastante satisfeito com o desempenho no jogo de terça. “Fizemos um bom trabalho contra um rival muito perigoso. Trabalhamos de maneira muito séria e isso se torna melhor ainda quando se joga contra uma grande equipe como o Chelsea. Precisamos de concentração em até o último minuto para cumprirmos nossa tarefa e assim o fizemos. É um momento muito importante para nós e para a torcida, que se comportou muito bem e por isso também estou muito feliz”, disse.

O holandês também fez questão de evitar falar em vingança. “Não sou uma pessoa que acredita em vingança. Foi muito importante prosseguir em um torneio maravilhoso como este. Para mim, não importa quem vencemos; precisamos continuar e a vingança não entra nisto. Não tenho nada especificamente contra o Chelsea ou o treinador. Tenho um grande respeito por ele e acho que está fazendo um bom trabalho”, afirmou Rijkaard em relação a Mourinho, com quem trocou declarações polêmicas nos últimos dias.

Mesmo depois da eliminação, o português não perdeu a oportunidade de provocar o rival. “O Barcelona não foi capaz de ganhar de nós jogando onze contra onze. Mas eles seguem adiante e nós não, e espero que isso esteja bom para eles. Faremos o que o Barcelona fez no ano passado: ver as quartas pela televisão. O futebol é assim e amanhã será outro dia”. Mourinho se referiu às expulsões de Del Horno, no jogo de ida, e de Drogba, na LC anterior.

Além disso, o treinador assumiu torcer para o Benfica ganhar o título da LC. “Sou português, e dos verdadeiros, não daqueles falsos. Por isso, agradaria a mim ver uma equipe do meu país ganhar o torneio”, declarou. Sobre uma possível encenação de John Terry no lance do pênalti, o treinador usou da ironia para responder: “Barcelona tem grandes teatros, mas Londres é, depois de Nova York, a cidade mais importante em termos de espetáculos”.