Mais um ex-jogador veio a público dizer que a sua época tinha jogadores melhores que a atual. Depois de Rivaldo, foi a vez de Ronaldo dizer que a dominância de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prêmio de melhor do mundo da Fifa e na Bola de Ouro, da France Football. Para o brasileiro, a disputa seria bem mais acirrada se Messi e Ronaldo jogassem na sua época.

LEIA TAMBÉM: Em 1997, a Internazionale realizava o sonho de contratar Ronaldo e ele se tornava o Fenômeno

“Na minha geração, a competição era muito maior do que agora, sem querer diminuir Messi e Cristiano Ronaldo”, afirmou o ex-jogador ao jornal alemão Sport Bild. “Eles irão lutar pelo título de melhor jogador do mundo pelos próximos anos, mas no meu tempo nós tínhamos [Zinedine] Zidane, Rivaldo, [Luis] Figo, eu, e depois Ronaldinho”, continuou Ronaldo. “Aquela foi uma geração em que ser o melhor era muito mais difícil”.

Ronaldo foi melhor do mundo pela Fifa em 1996, 1997 e 2002, além de Bola de Ouro em 1997 e também 2002. Depois dele, em 2002, Ronaldinho venceu o prêmio da Fifa em 2004 e 2005 (neste ano também ganhou a Bola de Ouro) e Kaká foi o último a vencer os principais prêmios individuais, em 2007, levando tanto o prêmio da Fifa quanto a Bola de Ouro.

Da esquerda para direita, Owen, Figo, Ronaldo e Zidane (Photo by Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images)

O brasileiro que tem chegado mais perto de conquistar esses prêmios é Neymar, de 25 anos, que trocou o Barcelona pelo Paris Saint-Germain em agosto de 2017. Sua transferência bateu todos os recordes de valores: € 222 milhões. A mudança da Catalunha para Paris causou certa controvérsia e muitos atribuíram à ideia de Neymar de brilhar por conta própria e sair da sombra de Lionel Messi.

Em 1997, Ronaldo também se envolveu em uma transferência polêmica na época e com multa por quebra de contrato paga. Naquele ano, Ronaldo trocou o Barcelona pela Internazionale, que pagou a multa do brasileiro – na época, US$ 27 milhões (em dinheiro atual, algo como US$ 42,25 milhões). Vale lembrar: o Barcelona tinha quebrado o recorde de transferências um ano antes, em 1996, para tirar Ronaldo do PSV por US$ 20 milhões (US$ 32 milhões em dinheiro atual).

A sua saída do Barcelona foi envolvida em uma longa novela, que já contamos neste especial sobre os 40 anos do Fenômeno. Ronaldo criticou recentemente o modo como o clube catalão trata os talentos, depois da saída de Neymar.

“Eu não sei o que estava por trás da sua transferência, talvez havia um problema com a presidência do Barcelona, como aconteceu comigo”, contou Ronaldo. “A saída de Neymar do Barcelona tem muitos paralelos com o que aconteceu em 1997”, opinou o ex-atacante. Ronaldo, porém, fez uma ressalva sobre o destino escolhido por Neymar. “Eu fui para a Inter quanto a liga italiana era muito mais forte que a liga francesa atual”.

Copa do Mundo

Ronaldo ainda comentou sobre a Copa do Mundo que acontece em junho deste ano, na Rússia. Para ele, o Brasil se fortaleceu muito, mas a grande favorita ainda é a Alemanha, atual campeã do mundo.

“O Brasil está forte de novo. Desde Tite, o novo técnico, há um certo padrão de jogo que o time mantém. Como comentarista de TV, eu participo de quase todos os jogos da Seleção e vejo um desenvolvimento. Um time compacto, unido com vontade, motivação e que joga rápido. A Seleção resgatou o respeito e está jogando um grande futebol de novo. A Alemanha é a número 1 no ranking da Fifa e é automaticamente a maior favorita. Depois vem Espanha e Brasil”, analisou Ronaldo.

Ronaldo com a taça de campeão do mundo (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)