Wayne Rooney, o craque do Manchester United (AP Photo/Sang Tan)

Rooney deixou de ser um camisa 9 e virou camisa 10 brilhante

Quando Wayne Rooney surgiu, a sua posição era centroavante. Um atacante que sempre teve velocidade, força, mas que ele era um camisa 9. Foi assim que jogou a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, ainda muito novo. Aos poucos, Rooney se tornou um jogador mais completo e recuou. Até por jogar com outros centroavantes, ganhou novas qualidades, sua visão de jogo se aprimorou e atualmente, aos 28 anos, é o principal criador de jogadas tanto do Manchester United, seu clube, quanto da seleção inglesa.

O vídeo abaixo registra as 19 assistências de Rooney na temporada. Os ingleses tem uma flexibilidade um pouco grande sobre o que eles chamam de assistência, mas mesmo assim vale muito a pena ver como Rooney se tornou um camisa 10, que dá passes em profundidade e deixa os companheiros em boas condições para marcar. Mais do que isso, ele se desdobra em mais funções, recuando para marcar, podendo atuar pelas pontas, pelo meio, como um meia ofensivo, um segundo atacante ou até mesmo um centroavante. Essa versatilidade coloca Rooney no patamar das grandes estrelas mundiais.

Não é por acaso que o Manchester United está fazendo força para renovar o contrato do atual camisa 10. Segundo se fala na Inglaterra, o atacante teria um salário £ 300 mil por semana (algo como € 367 mil semanalmente, algo como € 1,4 milhão por mês). Se não bastassem as 19 assistências, Rooney ainda marcou 15 gols nesta temporada. Os jornais ingleses dizem que a braçadeira de capitão será usada como forma de convencer o jogador a continuar no clube. Na atual situação do Manchester United, não dá mesmo para pensar em perder um jogador como esse.