Qualquer atacante sonha em ser artilheiro de uma Copa do Mundo. O curioso é que algumas vezes essa honra fica com um semidesconhecido, um jogador que tem a carreira iluminada durante o curto período do mais importante torneio de futebol, e não raro volta ao ostracismo. Mas seu nome ficará eternizado e sempre será lembrado na hora de se fazer o histórico das Copas.

Não há dúvida de que o mundial de 1994 nos Estados Unidos teve dono. E seu nome é Romário. Porém, a liderança na tabela de artilheiros não ficou com o baixinho, que marcou cinco gols. Terminaram a competição como artilheiros o búlgaro Hristo Stoichkov e o russo Oleg Salenko, ambos com seis tentos.

Enquanto o primeiro pelo menos pode se gabar de ter sido um dos principais nomes da história do futebol da Bulgária, Salenko não conseguiu nem se firmar como um jogador relevante para seu país.

Ainda é mais impressionante notar que a carreira de Salenko foi marcada por uma única partida, apenas um amistoso em plena Copa do Mundo. No dia 28 de junho de 1994 Rússia e Camarões entraram no gramado do estádio de San Francisco já sem qualquer possibilidade de classificação para as oitavas de final. Inclusive há quem diga que os camaroneses jogaram de cabeça inchada, não pela derrota para o Brasil por 3 a 0 na rodada anterior, mas pelos festejos que teriam invadido a madrugada que precedeu o último jogo dos africanos naquele mundial.

Os europeus, aparentemente mais sóbrios, não tiveram muita dificuldade para construir o placar de 6 a 1. Os cinco gols de Salenko naquela partida, somados ao que havia marcado na derrota para a Suécia garantiram a artilharia daquele mundial para o atacante russo, mesmo com sua seleção não passando da primeira fase. Além de ser um dos goleadores daquela Copa, o russo estabeleceu o recorde de maior número de gols marcados por um jogador em uma mesma partida de mundial. Era mesmo seu dia de sorte.

Nada antes, nada depois

Se não fosse aquele jogo, seria difícil alguém lembrar de Oleg Salenko. Fora o mundial de 94, o limitado atacante disputou apenas cinco partidas pela Rússia e marcou somente um gol. Um dado curioso é que ele chegou a fazer uma partida pela seleção da Ucrânia também.

Nascido em Leningrado (atual São Petesburgo), Salenko começou sua carreira como profissional no Zenit Leningrad, aos 17 anos. Três anos mais tarde, em 1989, estava na Ucrânia, defendendo o Dínamo de Kiev, onde viveu seu melhor momento. Foram 48 gols em três temporadas pela equipe amarela e azul.

De 1992 a 1994 esteve no pequeno Logroñes, da Espanha. Depois de chamar a atenção de clubes maiores pela participação na Copa nos Estados Unidos foi parar no Valencia, onde só passou uma temporada e não deixou saudades.

Dali em diante peregrinou por clubes como o Glasgow Rangers, da Escócia, o turco Istanbulspor, o Córdoba (da Espanha) e terminou a carreira no Pogon Szczecin, escondido no futebol polonês. Diversas contusões no joelho o forçaram a se aposentar mais cedo do que esperava, aos 32 anos.