Todos os gols do Chelsea contra o Fulham têm o nome de Andre Schürrle, mas muito do crédito da vitória por 3 a 1 que mantém o clube na liderança do Campeonato Inglês tem que ir para o meia belga Eden Hazard. Entre passes e dribles, ele deu assistência para os dois primeiros gols do alemão e ainda colocou a bola na cabeça de Fernando Torres com um lindo cruzamento de letra.

Foi aos 13 minutos do segundo tempo, pouco depois do lançamento que executou para o tento que abriu o placar. Hazard caiu pela ponta esquerda, dançou na frente de Scott Parker e cruzou de letra, para aproveitar a perna direita. O passe foi perfeito, na medida para Torres, que cabeceou para fora, a menos de dois metros da linha de gol.

A atuação de Hazard não se restringiu a esses três passes. Ele deu mais cinco que terminaram em finalizações dos companheiros. Quase metade dos 17 chutes a gol que o Chelsea deu no clássico londrino saíram desses pés, que já deram nove assistências no Campeonato Inglês e fizeram 12 gols.

Por outro lado, Schürrle dobrou a sua contagem na Premier League, e ele começar a fazer gols é tão importante quanto as contribuições do belga. O ataque de José Mourinho não é muito produtivo. Como o próprio português sabe, falta um centroavante implacável no final do setor ofensivo. Samuel Eto’o e Fernando Torres não estão conseguindo exercer essa função. Os outros jogadores do elenco precisam dividir os gols com eles.

Porque o Chelsea aos 63 pontos e não perde a liderança de jeito nenhum neste final de semana, mas o Manchester City, que teve um jogo adiado e folga nesta rodada porque decide a Copa da Liga Inglesa no domingo, pode igualar essa numeração se ganhar essas duas partidas. A disputa pelo título inglês continua muito aberta.