Tomar um gol logo a nove segundos sempre complica a vida. Não há como negar isso. Mesmo assim, a estreia do Borussia Dortmund não pode só reclamar disso. A derrota por 1 a 0 ppara o Bayer Leverkusen na estreia dos dois times na Bundesliga deixou uma péssima impressão para os aurinegros, enquanto os aspirinas saíram de campo com uma boa sensação. Os comandados de Jürgen Klopp, que têm sido os maiores adversários do Bayern de Munique na Bundesliga, precisarão mostrar muito mais se quiserem destronar os bávaros na temporada.

LEIA TAMBÉM: Guia corneteiro da Bundesliga

O Dortmund veio armado com um losango no meio-campo, com Kehl como volante, Jojic pela direita e Mkhitaryan pela esquerda, com Reus mais à frente deles. O ataque teve Aubameyang e Immobile. Antes mesmo de qualquer coisa, no primeiro lance do jogo, Bellarabi recebeu pela esquerda, fez a finta para o meio e finalizou para vencer o goleiro Langerak, logo a nove segundos – o gol mais rápido da história da Bundesliga.

Ofensivamente, o Dortmund não funcionou. Foram 11 chutes a gol do time da casa, quatro deles no alvo. O Leverkusen chutou o mesmo número de vezes e acertou ainda menos, duas. Mas o ponto é que o Dortmund não conseguiu ser perigoso e, no primeiro tempo, quase não fez o goleiro Leno trabalhar. O Leverkusen, por sua vez, chegou algumas vezes perigosamente no primeiro tempo. Terminou melhor.

O primeiro tempo horrível fez a atitude do Dortmund mudar no segundo tempo. Reus fez partida apagada. Segundo relatos da Alemanha, ele ainda não está no seu melhor fisicamente e só jogou porque a lista de desfalques de Klopp já era grande demais. Gündogan, Schmelzer, Kirch, Sahín, Dong-Won Ji, Braszczykovski e Adrián Ramos. É a lista de desfalques do Borussia Dortmund para a partida. Ou seus jogadores são muito frágeis, ou o departamento médico do clube não trata bem, ou o time é muito azarado. O fato é que o time precisa ter menos lesões se quiser brigar de verdade pelo título alemão e, mais do que isso, ser um time forte e competitivo também em outras frentes, especialmente na Liga dos Campeões.

Mesmo sem fazer uma grande partida, o Dortmund tentou pressionar e obrigou Leno a uma excelente defesa. Só que foi pouco. Mesmo fazer marcação alta no campo de ataque, o Dortmund fez pouco, viu Reus deixar o campo já cansado e Hofmann entrar e levar algum perigo, mas sem conseguir ir além disso.

VEJA TAMBÉM: As camisas dos 18 times da Bundesliga

O Leverkusen conseguia sempre ser perigoso com Calhanoglou, Son e Bellarabi, a linha ofensiva que tinha Kiessling mais à frente. O volante Rolfes foi muito bem também. O zagueiro Emir Spahic fez grande partida, bem posicionado, e impediu que o Dortmund tivesse mais espaço. E já com o jogo nos acréscimos do segundo tempo, o Leverkusen matou o jogo. Bellarabi pressionou o lateral esquerdo Durm, que perdeu a bola, e o jogador do Leverkusen avançou, deixando Kiessling na cara do gol. O centroavante finalizou muito bem e fechou a conta no Signal-Iduna Park em 2 a 0.

Para quem largava como candidato ao título, o Dortmund mostrou pouco futebol. O Leverkusen, que largava como candidato a uma vaga na Liga dos Campeões, sonha. Ao menos o time dá um bom sinal em um campeonato que tem sido tão pouco disputado quando se fala de título.

LEIA TAMBÉM: Nem as férias prejudicaram a fase alucinante que vive Robben