O Atlético Paranaense vivia uma situação tranquila na Libertadores. As duas vitórias contra o adversário mais fraco do grupo, o Universitario, deixaram os rubro-negros muito próximos da classificação. Mas as duas derrotas para o melhor time podem potencialmente complicar o Furacão. Um empate na Vila Capanema não seria ruim para os atleticanos, mas a equipe acabou derrotada pelo Vélez Sarsfield por 3 a 1. Enquanto os argentinos se classificaram, os brasileiros decidem a vaga na última rodada, em circunstâncias não muito agradáveis. Visitam o Strongest na altitude de La Paz. Torcendo para que uma vitória do eliminado Universitario facilite a vida na verdadeira decisão que terão pela frente.

Peruanos e bolivianos duelarão em Lima nesta quinta-feira. A derrota, o empate ou a vitória por um gol de diferença (e no máximo dois tentos marcados) do Strongest deixam o Atlético com a vantagem do empate na rodada final. Já um triunfo dos bolivianos que fugir disso pode obrigar o Furacão a vencer em La Paz. Uma missão nada fácil, considerando que os paranaenses tiveram trabalho para superar os aurinegros.

Nesta quarta, o Vélez foi superior e fez por merecer a vitória, garantindo a classificação antecipada. O Fortín pode não contar com o favoritismo de outros tempos, mas possui uma das melhores duplas de ataque das Américas na atualidade. E isso porque Mauro Zárate nem jogou. Lucas Pratto não precisou de seu parceiro para ser o melhor em campo e conduzir os argentinos à vitória. O centroavante fez seu papel como homem de referência e marcou seu gol. Mas foi muito mais do que isso, abrindo espaços para os companheiros e ajudando até mesmo na criação de jogadas. Com tamanha ajuda, Allione e Canteros marcaram os outros gols.

O placar, no entanto, não condiz muito com tudo o que o Atlético criou na partida. Dráusio empatou o duelo no começo do segundo tempo e os rubro-negros tiveram até a chance de virar, mas pararam nas ótimas defesas do goleiro Sebastián Sosa. E quando a muralha do Vélez não ajudou, quem barrou os anfitriões foi a trave, em um lance de Douglas Coutinho que por pouco não garantiu o empate, quando o placar apontava 2 a 1 – isso sem contar outro chute no poste, de Bruno Mendes, quando o Vélez vencia por 1 a 0. Um pouco mais de sorte e o Furacão não precisaria se preocupar tanto com o que acontecerá nesta quinta, no Peru.

Já não cabe mais lamentar as chances perdidas. Os gols desperdiçados contra o Universitario em Lima e que poderiam dar um conforto maior na tabela (além do saldo e dos gols marcados, os gols fora ainda são o terceiro critério de desempate), um lance ou outro contra o Vélez que não aconteceu. Aos paranaenses, resta torcer pelos mais fracos. E, na altitude, mostrar porque é um dos brasileiros que mais fizeram por merecer a classificação na Libertadores até aqui. Depois do que aconteceu contra o Sporting Cristal na primeira fase, o impossível é mero detalhe para os atleticanos.


Uma resposta para “Se tiver mais sorte nesta quinta, o Furacão poderá ficar mais tranquilo com a decisão que fará”

  1. Adriano Augusto disse:

    Deu pena.Atletico jogou muito bem mas o Velez matou o jogo.
    Pratto,Cubero e Sebá,eu buscaria.

Deixe uma resposta