É difícil achar algum apaixonado por futebol que não goste de assistir aos jogos de Cristiano Ronaldo hoje em dia, seja pelo Real Madrid ou pela seleção portuguesa. Mais que nunca, o gajo tem chamado a responsabilidade e se tornou um dos jogadores mais objetivos do planeta – senão o mais objetivo. Mas se você curte ver o craque atuar hoje desta maneira, a principal pessoa a que você tem de agradecer é o antigo treinador do português, Alex Ferguson. O escocês contou que ajudou muito Ronaldo a deixar de ser cai-cai.

“(Simulação) É um elemento do jogo que não gostamos de ver. Eu tentei resolver isso com alguns dos meus jogadores ao longo dos anos. Quando o Cristiano chegou ao United ele tinha toda aquela dramatização, mas ouviu atentamente que não poderia fazer aquilo, se aprimorou tremendamente e tem sido um jogador ainda melhor por causa disso”, contou o ex-treinador do Manchester United.

Quem acompanhou os primeiros anos de Cristiano Ronaldo na Inglaterra sabe bem do que Ferguson está falando. Por algum tempo, o português chegou até a ficar estigmatizado na Premier League, sendo fortemente vaiado em jogos como visitante quando pegava na bola. O lance abaixo mostra bem o que corriqueiramente Ronaldo fazia.

Ferguson falou que fez o mesmo com Ashley Young, conversando bastante com o atleta para que não simulasse faltas e procurasse tentar mais as jogadas ofensivas do que cavar faltas. Bom, o escocês mudou a história do clube de Manchester com muitos títulos, ficou quase três décadas no comando dos Red Devils e ganhou um reconhecimento que jamais será esquecido, mas santo milagreiro ele não é, e Young parece um caso perdido mesmo.