Julian Draxler não deve trocar de clube mais uma vez, ao menos segundo o técnico da seleção alemã, Joachim Löw. Contratado pelo Paris Saint-Germain em janeiro, o atacante alemão teve um bom desempenho. Só que as chegadas de Neymar e, possivelmente, de Kylian Mbappé, ele deve perder espaço. Por isso, as especulações são sobre a sua saída, mas Löw deu entrevista dizendo que o clube de Paris não quer vendê-lo e, portanto, ele não deve trocar mais uma vez de clube.

LEIA TAMBÉM: Draxler foi o expoente de uma seleção alemã na qual vários jogadores saem em alta

Em janeiro, Draxler, de 23 anos, foi contratado junto ao Wolfsburg. Pelo PSG, foram 25 jogos , 10 gols e três assistências. Jogou sempre por um dos dois lados do ataque, compondo uma linha ofensiva poderosa com Ángel Di María e Edinson Cavani, além de Javier Pastore e Lucas. Com Neymar, porém, ele não teve muitos minutos nesta temporada. Até aqui, foram apenas dois jogos e 12 minutos em campo.

Por isso, as especulações são de uma saída do alemão, até para que o PSG faça caixa pensando no Fair Play Financeiro. Só que o técnico da Alemanha não acredita que ele vai sair, de acordo com informações do clube. “Eu sei que de fato o PSG não quer vendê-lo”, afirmou Löw em entrevista coletiva. “Eles estão convencidos das suas qualidades excepcionais”, continuou.

Sem seus principais jogadores na Copa das Confederações, Löw deu a Draxler a faixa de capitão do time. O jogador, que esteve na Copa do Mundo de 2014 e na Eurocopa de 2016 foi o líder do time em campo. “Ele deu um grande passo adiante ali”, afirmou Löw. “Eu tenho certeza que ele dará a volta por cima em Paris. Por enquanto, ele já está exercendo um grande papel para nós”.

Entre os clubes que foram especulados como destino de Draxler estão Arsenal, Borussia Dortmund e Bayern de Munique. Este último descartou a transferência, com elogios de Uli Hoeness, presidente do clube, mas dizendo que já há muitos jogadores no elenco para a posição. O Arsenal, por sua vez, parece precisar de um jogador da classe de Draxler. Uma transferência, porém, parece mesmo improvável.