A humilhação sem precedentes da seleção brasileira inaugurou também uma nova categoria de entrevistas e comentários pós-jogo: o adversário que se desculpa pela derrota imposta e compadece da dor do perdedor.

Desde que chegaram ao Brasil para a disputa da Copa, os alemães têm conquistado os torcedores com o jeito solto e alegre com que têm se comportado. E eles não quiseram perder isso após golear os anfitriões. Através de redes sociais ou de entrevistas após a partida, alguns se desculparam pelos sete gols, outros se mostraram surpresos com o resultado e alguns exaltaram o povo brasileiro e demonstraram empatia pelos jogadores.

Facebook oficial da seleção alemã:

 

Lukas Podolski, no Twitter:

Podolski Twitter

Bastian Schweinsteiger, em entrevista ao SporTV:

“Foi um enorme prazer jogar contra o Brasil. Fizemos o que tínhamos que fazer, o nosso trabalho. Mas fico um pouco triste com o que aconteceu com o Brasil. É um bom time e fez um grande trabalho. Fico triste por Neymar e Thiago Silva, que não puderam jogar contra nós. Mas creio que, para a Copa, foi muito bom para o Brasil ter chegado à semifinal.”

“Pena é forte, mas eu gostaria de me desculpar com o Brasil. Não esperávamos um placar desses. Tentamos ser respeitosos jogando futebol e fazendo gols. Para nós, essa Copa é um sonho. Estamos gostando muito do povo brasileiro, e queria dizer que a seleção brasileira fez grande papel no torneio.”

Thomas Müller, em entrevista no Mineirão:

Felipão Müller Brasil Alemanha 640

”O Brasil não merece isso, e estou dizendo isso para meus companheiros, porque há muitos grandes jogadores no time deles. Eles não mereceram perder dessa maneira, em seu país, em seu estádio, em frente de um grande público. Perder de 7 a 1 é ruim para o coração. Estou pensando nos meus amigos, como o Luiz Gustavo, e imaginando como eles estão se sentindo nesse momento. Eles não mereciam algo assim, mas eu sei que minhas palavras não serão suficientes para consolá-los.”

Mesut Özil, no Facebook:

“Vocês têm um país lindo, pessoas maravilhosas e jogadores fantásticos. Essa partida não pode destruir seu orgulho!”

Per Mertesacker, em entrevista no Mineirão:

“Sinto muito. Vivi isso em 2006. Perdemos a semifinal para a Itália em 2006, vimos a expectativa que se criou sobre o Brasil, e não é fácil carregar isso. Sinto muito por todos.

Joachim Löw, em entrevista no Mineirão:

“Acho que posso imaginar o sentimento. Em 2006, perdemos a oportunidade em nosso país, isso é uma enorme decepção para qualquer país. Acredito que essa derrota, para o Brasil, será difícil de digerir. Apesar de tudo isso, o Brasil fez uma boa Copa e a organizou de forma sensacional. O que o Brasil deixou aqui é fantástico, com gente fantástica”

Philipp Lahm, em entrevista no Mineirão:

“Vivemos o mesmo em 2006. É difícil não viver esse grande sonho em casa. O Brasil sentiu o mesmo, e o gosto é muito amargo.”

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR:

- Ou mudamos nosso futebol ou esse será só o primeiro de muitos vexames

- Torcida foi treinada para ter cara de estádio, mas não se preparou para teste definitivo

- O choro de 1950 foi espanto em 2014

- Todos os detalhes do recorde de Klose, maior artilheiro das Copas