Ir até a Rússia é uma viagem longa e difícil para os torcedores da Europa Ocidental, mas nesta terça-feira essas dificuldades ganhou contornou criminosos. Grupos de torcedores do Borussia Dortmund estão sendo perseguidos e atacados em São Petersburgo, cidade onde vai acontecer o jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões entre Zenit e o clube alemão.

Segundo postou no Twitter Jens Volke, dirigente responsável pelo relacionamento com torcedores do Dortmund, grupos de torcedores do Zenit ficam no centro da cidade em grupos de até 20 pessoas procurando pelos torcedores visitantes para agredir. Entre 50 e 60 torcedores foram atacados, co um deles sofrendo uma fratura no nariz e os demais com lesões mais leves.

Vale lembrar que a torcida do Zenit protagoniza momentos terríveis de violência e racismo. Basta lembrar dos protestos da torcida quando o brasileiro Hulk foi contratado, por puro preconceito. O atacante conseguiu contornar esse problema e hoje a torcida o apoia, mas as manifestações racistas continuam sendo vistas no estádio Petrovsky. A Uefa obrigou o clube a fechar o setor onde ficam os chamados ultras por causa de faixas racistas e uso de sinalizadores durante a derrota por 4 a 1 para o Austria Viena, na fase preliminar.

Segundo o diretor do Zenit, Maxim Mitrofanov, serão tomadas medidas extras de segurança para a partida e os torcedores com carnês de temporada para os setores que estão proibidos pela Uefa não poderão entrar no estádio, nem mesmo comprar ingressos para outros setores do estádio. E mais: diz que serão oferecidas tortas e chá quente para amenizar a “influência de qualquer clima frio no ambiente da partida”. A temperatura deve estar por volta de 3°C no horário da partida.