Sem empolgar, o Brasil derrotou a Rússia por 1 a 0 em amistoso disputado nesta quarta em Moscou. Contra uma equipe bem montada na defesa, a Seleção finalizou poucas vezes e levou um sufoco no segundo tempo. Mesmo assim, a equipe saiu de campo com a vitória.

Na ausência de Ronadilnho, Parreira escalou Ricardinho para compor o meio-campo. Outras mudanças já esperadas eram as entradas de Juan e Rogério Ceni como titulares. Em Moscou, a Seleção encarou um gramado em condições ruins, além de um frio de cerca de –10ºC.

A partida começou em ritmo lento. As duas equipes gastaram os primeiros quinze minutos de jogo em uma troca de passes sem muitos resultados. O Brasil encontrava dificuldades para ameaçar o gol de Akinfeev. O time conseguia tocar a bola até a intermediária, mas esbarrava em uma barreira formada pelos defensores russos dentro da área.

Na primeira chance realmente perigosa, a Seleção abriu o placar aos 14 minutos. Roberto Carlos chutou de fora da área, a bola desviou em Ronaldo e entrou no canto direito. Akinfeev reclamou de um possível toque de mão do ‘Fenômeno’ no lance, porém o juiz validou o gol.

Depois do gol, as duas equipes voltaram a concentrar as ações no meio-campo. Sem muita criatividade, o Brasil tentava tocar a bola e ligar o ataque, sem conseguir passar pela defesa russa.

Aos 33, Cicinho desceu pela direita e tocou para Adriano, mas o chute foi desviado por Akinfeev. Cinco minutos depois, Ronaldo bateu de direita de fora da área e o goleiro defendeu com segurança. A Rússia reagiu aos 44: Kerzhakov recebeu na direita e chutou no travessão.

No intervalo, Parreira promoveu as entradas de Edmílson e Cris nos lugares de Ricardinho e Juan, respectivamente. O time cedeu mais espaços para a Rússia, que chegou duas vezes ao ataque em quinze minutos.

O Brasil melhorou um pouco e levou perigo aos 25. Cicinho recebeu na direita e cruzou. A bola desviou na zaga e quase entrou. A Rússia perdeu uma grande chance de empatar aos 31. Rogério Ceni defendeu um chute à queima-roupa de Bilyaletnov. No rebote, a zaga mandou por cima do travessão.

A melhor chance da Rússia surgiu aos 39. Depois de um lançamento do meio-campo, Arshavin entrou sozinho na área. Rogério Ceni não cortou o lance e Arshavin tocou para trás. Kerzhakov chutou e Gustavo Nery tirou praticamente em cima da linha.