Ramón Díaz encerrou um jejum de seis anos do River Plate sem títulos. O técnico, que havia comandado os Millonarios na última conquista de Libertadores, em 1996, retornou ao clube 12 anos após sua saída, em 2002, e conseguiu levar o time à conquista do Torneo Final. Ciente de seu feito, Díaz deve ter pedido um belo aumento no salário, pois anunciou no fim do mês passado sua saída por discordâncias “financeiras e de gestão”. Como a fórmula de ir atrás de alguém que já tem uma história no clube deu certo com o treinador experiente, o River repete a fórmula ao apontar o substituto, mas dessa vez com alguém com bem menos vivência no cargo: Marcelo Gallardo.

Veja também: [Vídeos] A loucura tomou as ruas nas festas de Atlético, Arsenal, Juve e River Plate

Gallardo, que foi revelado pelo River Plate em 1993 e atuou no clube por 17 anos, encerrou sua carreira como jogador há apenas três anos. Aos 38 anos, a experiência que acumula como treinador é mínima, mas significante: após se aposentar em 2011 pelo Nacional, assumiu como técnico do time e conseguiu o título do Campeonato Uruguaio de 2011/12. Não continuou na temporada seguinte e volta agora a comandar um time.

Gallardo é apenas uma aposta, mas seu sucesso na única empreitada que teve até agora como treinador, somado à simpatia e idolatria que tem a torcida millonaria por ele, o torna um bom nome a ser apontado. O clima para seu início de trabalho no River deverá ser bom, apesar da saída de Díaz. Sem falar que não terá uma grande pressão por títulos, já que a fila foi superada no Torneo Final.

Voltando à Libertadores pela primeira vez desde 2009, o time deverá, sim, ser cobrado para que tenha uma boa campanha na competição em 2015, mas não a ponto de se tornar vital para Gallardo. Tudo o que ele fez pelo clube como jogador (incluindo aí a conquista de seis campeonatos argentinos e uma Libertadores) o dá bastante respaldo.

Relembre alguns dos lances de Gallardo como jogador do River: