A Copa do Rei precisa seriamente repensar o seu formato. Não bastasse a disparidade quando os grandes estão envolvidos, os jogos de ida e volta dão menos chance ainda aos azarões. E logo no começo do ano, a falta de empolgação foi visível entre Barcelona e Real Madrid, nos jogos de ida das oitavas de final. Os merengues até fizeram a sua parte, ao derrotarem o Numancia por 3 a 0, mas não quer dizer que jogaram bem. Já os blaugranas se contentaram com o empate por 1 a 1 arrancado por seus reservas, na visita ao Celta em Balaídos. Pouco ânimo e pouco interesse.

O Barça foi o primeiro a entrar em campo. E estava claro que sua vida não seria tão fácil, contra um Celta que escalou suas principais referências. Os catalães saíram em vantagem na Galícia, graças a um cruzamento de André Gomes para José Arnáiz, grata surpresa nesta campanha da Copa do Rei, arrematar. Todavia, os celestes buscaram a igualdade ainda no primeiro tempo, em lance confuso que sobrou para Pione Sisto encher o pé. Gerard Piqué, Sergio Busquets e Paulinho foram as raras estrelas entre os blaugranas, que no segundo tempo contaram com a volta de Ousmane Dembélé, após quase quatro meses no estaleiro.

Já o Real Madrid não se empenhou tanto para se impor contra o Numancia, da segunda divisão, no Estádio Los Pajaritos. Tudo indicava uma vitória magra, em pênalti convertido por Gareth Bale no primeiro tempo – após uma infração não marcada a favor dos anfitriões. Na segunda etapa, para piorar, o Numancia teve um jogador expulso. Ainda assim quase empatou, em chute de Iñigo Pérez do círculo central que esbarrou no travessão. Já os outros dois gols madridistas saíram depois dos 44 do segundo. Em outra penalidade, Isco mandou para dentro. Por fim, nos acréscimos, Achraf Hakimi cruzou milimetricamente para Borja Mayoral escorar. Zinedine Zidane também utilizou um time reserva, liderado por Bale e Dani Carvajal.

Os jogos de volta das oitavas de final da Copa do Rei acontecem na próxima semana. O detalhe é que o Celta, antes de se reencontrar com o Barcelona no Camp Nou, pega o Real Madrid pelo Campeonato Espanhol e promete poupar seus titulares. Visa a chance de fazer história na competição, tão menosprezada pelos gigantes.