As tensões crescem no cenário internacional, com a Coreia do Norte testando mísseis e os Estados Unidos, por meio do seu presidente Donald Trump, ameaçando com “total destruição”. Enquanto isso, na Itália, o senador Antonio Razzi, membro do partido de direita Forza Italia, comandado por Silvio Berlusconi, quer arrastar Paulo Dybala para o país asiático, em nome de uma “grande festa nacional”.

LEIA MAIS: Dybala fez seus próprios presentes na vitória da Juventus

Razzi tem o que a política gosta de chamar de “posições controversas” em relação à Coreia do Norte, o que é bem adequado, talvez até um pouco eufemístico, para quem acha o ditador Kim Jong-un um “moderado que está tentando levar democracia ao país”, que, segundo ele, é a “Suíça do Oriente”.

Depois da última visita para bater um papo com o amigo, o senador disse que Kim Jong-Un “sabe tudo sobre o Campeonato Italiano e a NBA” e trouxe um recado para o jovem Kwang Song Han, norte-coreano que defendia o Cagliari e agora está no Peruggia. Para nutrir esse interesse, Razzi acha que seria legal levar Dybala para a Coreia do Norte. E o grupo de pop italiano Il Volo.

“Quero levar Dybala para a Coreia do Norte e também estou tentando o Il Volo”, afirmou. “Eu sei que Kim Jong-un é muito apaixonado por esportes e música, por isso estou querendo envolver a superestrela da Juventus. Se eu levar Dybala para lá, haveria 200 mil pessoas no estádio, colocariam telões, seria uma grande festa nacional”.

Quero ver o Allegri liberar.