As duas últimas seleções a estrearem na Copa do Mundo fizeram um jogo que surpreendeu muita gente. Senegal venceu a Polônia, cabeça de chave do Grupo H, por 2 a 1, em um jogo que mostraram ser um time bem organizado e muito forte fisicamente. A Polônia mostrou muito pouco futebol, ainda que também tenha um time organizado e forte fisicamente. O time de Robert Lewandowski fez pouco para conseguir mais do que conseguiu. Senegal, assim, dá a primeira vitória a uma seleção africana nesta Copa 2018, justamente na última partida da primeira rodada e com uma seleção que demorou 16 anos para voltar.

LEIA TAMBÉM: Quatro anos depois, o Japão se reencontrou com a Colômbia para reescrever a sua história

Poucas chances

O primeiro tempo do jogo foi de muita correria, mas poucas chances para tirar aquele “UH” da torcida. Entre as características dos dois times, a força física, o que igualou muito o duelo. Os dois times se esforçaram muito para não deixar o outro jogar. E conseguiram. O jogo realmente tinha muito pouco acontecendo. Nem mesmo as estrelas dos times, Sadio Mané e Robert Lewandowski, conseguiram fazer muito.

Uma dose de sorte

Com o jogo igual, o gol saiu de um jeito que não poderia representar melhor o que era a partida. Depois de uma troca de passes que começou do lado esquerdo, Gueye recebeu nas imediações da área polonesa e chutou forte. A bola desviou duas vezes, sendo o mais decisivo o do zagueiro Thiago Cionek. Gol que ajudou a mudar um pouco o jogo, mexendo em uma partida tão parada.

Polêmica

Aos 15 minutos do segundo tempo, Senegal chegou ao segundo gol. Krychowiak recuou mal, Bednarek vacilou e Niang aproveitou a saída ruim de Szczesny, deu um toquinho que tirou o goleiro do lance e tocou para o gol aberto: 2 a 0 para os africanos. Só que Niang estava fora do campo no início do lance e o árbitro autorizou a sua volta, o que fez Bednarek não perceber o jogador ali. Ele voltou a campo e fez o gol, como elemento surpresa. Claro, os poloneses reclamaram muito e parecem ter razão nesse sentido.

Bola parada

Se não tinha muita jogada trabalhada, teve uma bola parada que colocou a Polônia no jogo. Falta cobrada por Grosicki para a área e o meia Krychowiak cabeceou no canto oposto, deixando o goleiro D’Diaye sem ter o que fazer: 2 a 1 para Senegal. Mais da metade dos gols da Copa 2018, até aqui, foram marcados de bolas paradas. O jogo seguiu a tendência. Assim, a Polônia partiu para cima nos minutos finais, tentando um empate no sufoco, na base do abafa. Não adiantou. A vitória foi mesmo senegalesa.

Histórico

Na última participação, Senegal tinha feito uma estreia surpreendente. No jogo de abertura da Copa de 2002, o Senegal venceu a França, então campeã do mundo, por 1 a 0. Naquela Copa, os senegaleses fizeram campanha marcante: foram até as quartas de final, melhor campanha africana em uma Copa (junto com Camarões em 1990 e Gana em 2010).

Próximos jogos

Senegal e Japão, os vencedores da primeira rodada, se enfrentam no dia 24, domingo, às 12h (Brasília). Polônia e Colômbia fazem o jogo dos desesperados às 15h, no mesmo dia 24, em Kazan.

FICHA TÉCNICA

Polônia 1×2 Senegal

Local: Estádio Spartak, em Moscou (RUS)
Árbitro: Yaser Tulefat (BHR)
Gols: Thiago Cionek (contra), N’Baye Niang (Senegal), Grzegorz Krychowiak (Polônia)
Cartões amarelos: Krychowiak (Polônia), Sané, Gueye (Senegal)

Polônia
Wojciech Szczesny; Lukasz Piszczek (Bartosz Bereszynski aos 38’/2T), Thiago Cionek, Michal Pazdan e Maciej Rybus; Grzegorz Krychowiak e Piotr Zielinski; Jakub Blaszczykowski (Jan Bednarek, intervalo), Arkadiusz Milik (Dawid Kownacki aos 28’/2T) e Kamil Grosicki; Robert Lewandowski. Técnico: Adam Nawalka

Senegal

Khadim N’Diaye; Moussa Wagué, Salif Sané, Kalidou Koulibaly e Youssouf Sabaly; Ismaila Sarr, Idrissa Gueye, Alfred N’Diaye e Sadio Mané; N’Baye Niang (Moussa Konaté aos 30’/2T) e Mame Biram Diouf (Cheik N’Doye aos 17’/2T). Técnico: Aliou Cissé