O momento é de definição rumo à Copa do Mundo. Muitas seleções já têm seus elencos praticamente fechados e só esperam que nada de mais sério aconteça para fechar os 23 nomes que virão ao Brasil. Ainda assim, dá tempo de cavar uma vaguinha no Mundial – e, na contramão, também de perder. Os seis meses anteriores ao torneio são primordiais para correr contra o tempo e mostrar serviço para convencer os técnicos. E, às vezes, a única solução é mudar de ares para renovar as chances.

Abaixo, listamos sete jogadores que a transferência pode ajudar às vésperas da Copa. Alguns, pensando mesmo em estar na lista final de seu país, como Jérémy Ménez e Juan Mata. Outros, tentando a reafirmação entre os titulares, a exemplo de Claudio Marchisio e Kevin de Bruyne. Ou mesmo para que a falta de ritmo não prejudique em nada, como deve estar pensando Júlio César. Se a hora é de pegar embalo para fazer história no Mundial, estes estão precisando de outros cantos para conseguir uma boa sequência.

Claudio Marchisio

Marchisio apareceu para ser decisivo em uma Juventus que foi pressionada (Foto:  AFP PHOTO/IAN MACNICOL)

Quando Marchisio iniciou a temporada machucado e Paul Pogba a arrebentar em seu lugar, já parecia evidente que o italiano esquentaria o banco da Juventus. Sua situação só não foi pior porque Andrea Pirlo também se lesionou e abriu espaço para que o camisa 8 tivesse um pouco mais de chances. Ainda assim, está longe de igualar a importância das temporadas anteriores. Longe dos holofotes na Juve, o meio-campista perde fôlego na briga por um lugar entre os titulares da seleção. Sua especulada ida ao Manchester United renovaria suas esperanças.

Juan Mata

Durante a chegada de José Mourinho ao Chelsea, cresciam os rumores de que Juan Mata seria deixado de lado em Londres. O camisa 10 até teve suas chances, mas bem distante de lembrar que foi ele quem acabou eleito como o craque do time nas duas últimas temporadas. O maior papelão aconteceu contra o Southampton, no início do mês, quando fez pouco em campo e acabou substituído por Oscar, que decidiu a partida no segundo tempo. Dada a fortíssima concorrência por um lugar entre os meias da Espanha, é bom não bobear. Só falta saber quem bancará sua transferência – vários clubes já foram especulados, mas ainda não há nada oficial.

Kevin de Bruyne

Mais um talento ofensivo sem espaço no Chelsea de Mourinho. Mesmo com os Blues disputando cinco competições oficiais nesta temporada, De Bruyne só disputou nove jogos até o momento – e quatro deles saindo do banco de reservas. Interessados não faltam no jogador de 22 anos, que poderia ser emprestado à Bundesliga ou a La Liga. A ausência dos jogos com o clube não deve tirá-lo da convocação final da seleção belga, mas, considerando toda a ‘geração promissora’ que o técnico Marc Wilmots tem à disposição, isso pode render a reserva ao meia.

Jérémy Ménez

Depois que Edinson Cavani e Lucas chegaram ao Paris Saint-Germain, arranjar uma vaguinha no ataque ficou ainda mais difícil. E quem mais pagou o pato foi Ménez. O francês só foi titular em cinco partidas durante o primeiro turno da Ligue 1. E o preço a se pagar por isso é bem caro. A falta de ritmo, somada ao seu histórico de indisciplina, tem o deixado de fora da seleção francesa desde março de 2013, quando entrou em campo contra a Espanha. Para vir ao Brasil, o atacante precisa de uma reviravolta que só acontecerá se deixar o Parc des Princes. A Juventus é uma das possíveis interessadas.

Júlio César

Júlio César teve grande atuação no Loftus Road

Felipão já garantiu que um dos seus 23 convocados para a Copa do Mundo já está garantido: Júlio César, mesmo na segunda divisão inglesa com o Queens Park Rangers. O problema é que o goleiro sequer está jogando com os londrinos. E a falta de ritmo de jogo pode atrapalhá-lo quando o momento decisivo chegar, em junho. As ofertas, que eram mais fortes no início da temporada, minguaram nesta janela de inverno. Por enquanto, apenas equipes medianas da Premier League têm o interesse relatado no camisa 1.

 Erik Lamela

Nenhuma outra seleção do mundo possui tantas opções de ataque quanto a Argentina. E, em uma disputa acirrada, Lamela se aproximava da viagem ao Brasil na reta final. A ótima fase na Roma o levou a ser chamado por Alejandro Sabella, mas o ostracismo no Tottenham pode atrapalhar. O jovem só fez três partidas como titular na Premier League e saiu do banco em mais seis. Com a falta de utilização, alguns clubes cresceram o olho ao menos no empréstimo do garoto. O problema é que os Spurs não estão muito dispostos a liberá-lo, com o técnico Tim Sherwood afirmando que o ponta permanece em Londres para o restante da temporada.

Jack Rodwell

Tido como uma das maiores promessas do futebol inglês, Jack Rodwell era cotado para ser o substituto de Steven Gerrard e Frank Lampard em um futuro não tão distante. Se isso acontecer mesmo, só deverá ser depois de junho. O meio-campista vinha fazendo parte das convocações de Roy Hodgson, mas anda esquecido desde junho, quando atuou no amistoso contra o Brasil. E, quinta opção entre os cabeças de área do Manchester City, só esteve em campo seis vezes na temporada, metade delas como titular. O United chegou a ser listado como interessado, mas Manuel Pellegrini insiste em segurar o volante no Estádio Etihad.