Quando um jogador morre, automaticamente o seu contrato com o clube de futebol que defende é terminado. Mas no caso do atacante Maicon, que morreu em um trágico acidente de carro, o Shakhtar Donetsk resolveu fazer diferente. O clube ucraniano anunciou que irá pagar os salários do jogador até o fim do acordo, que vai até junho de 2015, para a família de Maicon.

Essa é a forma que o clube encontrou de ajudar a família, que certamente passa por um dos piores momentos de suas vidas. “O contrato de Maicon vai até o meio de 2015. Do ponto de vista legal, nessas situações, o contrato normalmente é encerrado, mas Maicon tem uma filha de 7 anos e pais idosos que ficaram. Por isso, o presidente do clube decidiu dar todo o valor do contrato, integralmente, para dar apoio à família nesse momento de dificuldade”, afirmou Sergie Palkin, diretor executivo do Shakhtar, em entrevista coletiva na sexta-feira.

É uma atitude honrosa do Shakhtar. Sabemos que os jogadores muitas vezes sustentam uma grande quantidade de pessoas da sua família, sendo que muitos são completamente dependentes dele. A atitude do presidente do Shakhtar é de grandeza.