A Internazionale vive uma fase terrível no Campeonato Italiano. O time está há 10 jogos sem vencer, contando todas as competições. A última vez que o time venceu foi no dia 3 de dezembro, quando goleou o Chievo por 5 a 0. Em meio a essa crise, o jornal Corrirere dello Sport revelou uma conversa do técnico interista, Luciano Spalletti, com torcedores da Roma em um restaurante, em Milão, depois do jogo entre as duas equipes no dia 21 de janeiro. E as falas são bastante fortes e preocupantes, especialmente para os torcedores da Inter.

LEIA TAMBÉM: Mertens resolveu contra o Benevento, mas também deixou uma preocupação ao Napoli

O jornal italiano relata uma conversa de Spalletti do lado de fora do restaurante Grani & Braci, em Milão. Depois de deixar a Roma ao final da temporada passada, Spalletti assumiu a Inter e começou em uma ótima campanha. O rendimento caiu e o time já despencou de candidato a título a quarto colocado, ameaçado por times que vem abaixo.

Um dos temas que era frequentes nos seus últimos meses como técnico da Roma foi a gestão de Francesco Totti, considerada um desastre por torcedores e até mesmo por jogadores do elenco. O capitão romanista tinha poucos minutos em campo, por opção de Spalletti. Uma decisão que tornou os meses finais do treinador na Roma bastante tumultuados, especialmente sabendo que era a temporada de aposentadoria do ídolo.

“Totti não podia correr mais, e ele tornava mais lenta as jogadas dos outros se eu o deixasse jogar”, afirmou o treinador, na conversa com os torcedores, segundo o relato do Corriere dello Sport. “[O presidente da Roma, James] Pallotta deixou claro para mim que iria vender os melhores jogadores. Eu fui além dos nossos meios, eu levei a Roma ao segundo lugar à frente do Napoli”, afirmou Spalletti. “É claro que havia uma chance para vencer, vá dizer isso aos jogadores”.

Quando tratou sobre o atual clube, as palavras de Spalletti foram também muito duras. E são mais do que suficientes para preocupar os torcedores do time. Ainda mais quando consideramos que a expectativa na Inter, na diretoria e na torcida, é de voltar à Champions League na próxima temporada. E é preciso ficar entre os quatro primeiros colocados para isso.

“A Inter? O clube não quer gastar e o ambiente está sempre a um passo da loucura, como a Roma”, descreveu Spalletti. “Você está sempre no limite do equilíbrio, às vezes há uma atmosfera depressiva”, continuou o treinador. “Se a Inter pode vencer algo? Vocês não entendem nada e eles não sequer entendem isso aqui em Milão: com essa Juve, que tem dois times, não se ganha nada”, confessou o treinador.

Spalletti e a diretoria da Inter já mostraram alguns desentendimentos. O técnico pediu reforços na defesa e ganhou Lizandro López, contratado por empréstimo nesta janela de janeiro. Nesta temporada, contando as duas janelas, de agosto e janeiro, a Inter gastou € 81,03 milhões e recebeu € 68,83 milhões. Entre as principais contratações estão Matías Vecino, meia uruguaio de 25 anos que veio da Sampdoria por € 24 milhões; e Milan Skriniar, de 22 anos, zagueiro eslovaco que veio da Sampdoria por € 23 milhões.

A pressão sobre Spalletti aumenta a cada rodada. E especialmente sobre os jogadores, pelos desempenhos absolutamente ridículos do time em campo.