A federação togolesa anunciou nesta segunda a demissão do treinador Stephen Keshi. A fraca campanha na Copa Africana de Nações, quando Togo perdeu as três partidas que fez no torneio, foi o principal motivo para a decisão.

Rock Gnassingbe, presidente da entidade, estuda o nome de um treinador alemão para assumir o cargo. Porém, o dirigente não quis revelar nomes. Correm por fora os franceses Philippe Troussier, Bruno Metsu, Alain Giresse e Noël Tosi.

Keshi entrou no meio da disputa das eliminatórias africanas, no lugar de Antônio Dumas. O novo treinador organizou a equipe, até então recheada por brasileiros naturalizados togoleses, reagiu e, no grupo final, ficou à frente de Senegal.

Porém, na CAN, Keshi enfrentou diversos problemas. Os jogadores cobraram a premiação pela classificação no torneio e adiaram o embarque para o Egito. Já no país-sede do torneio, ele se desentendeu com Emmanuel Adebayor, principal nome da seleção. Os Gaviões ficaram em último lugar no grupo B, tendo perdido para República Democrática do Congo (2×0), Camarões (2×0) e Angola (3×2).