Olivier Giroud acostumou-se, no Arsenal, a ser reserva. Quase nunca começava jogando, sempre entrava no segundo tempo. A saída para o Chelsea não mudou muito o panorama da sua carreira. O substituto por excelência tem oito partidas de Premier League vestido de azul, e apenas duas delas como titular. Não foi o caso deste sábado, quando o francês pisou o campo na etapa final para ajudar sua equipe a virar contra o Southampton e ganhar por 3 a 2.

LEIA MAIS: Morre Ray Wilkins, um símbolo da transição histórica do Chelsea

Os Saints caminham com determinação rumo à segunda divisão inglesa. Têm uma vitória nas últimas 20 rodadas da Premier League e estão na zona de rebaixamento, com 28 pontos. Mas quando Tadic abriu o placar no primeiro tempo, após ótima jogada de Ryan Bertrand, e Bednarek ampliou depois do intervalo, parecia que a primeira vitória de Mark Hughes no comando do time estava encaminhada.

Tudo aconteceu muito rápido. Imediatamente depois de o Southampton fazer 2 a 0, Antonio Conte recorreu aos seus reservas. Retirou Zappacosta e colocou Pedro Rodríguez, modificando o seu esquema habitual para uma linha de quatro na defesa. E trocou Álvaro Morata por Giroud. Dez minutos depois, Marcos Alonso fez o cruzamento da esquerda, e o francês apareceu entre os zagueiros para dar uma bela cabeçada ao fundo das redes.

Quatro minutos depois, Willian fez jogada de linha de fundo pela esquerda e cruzou para Hazard, que dominou e fuzilou McCarthy. Três minutos depois, em cobrança de falta ensaiada, a bola ficou pulando dentro da área até Giroud completar e concretizar a virada do Chelsea.

Foram os primeiros gols de Giroud pelo Chelsea na Premier League. Anteriormente, ele só havia marcado pela Copa da Inglaterra. O resultado permite que os Blues ainda sonhem com classificação à próxima Champions League, sete pontos do Liverpool, com o mesmo número de jogos, e do Tottenham, que tem uma partida a menos. Ao Southampton, restou o pesadelo do rebaixamento à Championship.

.

.