Benzema foi novamente um destaque da França (AP Photo/Christophe Ena)

Suíça 2×5 França: Fonte Nova atrai nova goleada, desta vez da França

A crônica

A Copa do Mundo no Brasil está espetacular e três dos times responsáveis por isso desfilaram excelentes jogos em um mesmo estádio: a Fonte Nova. Foi lá em Salvador que a Holanda goleou a Espanha por 5 a 1, causando um tremendo choque. Foi lá também que a Alemanha atropelou Portugal por 4 a 0, fora o baile. Nesta sexta-feira, foi a vez da França passar pela capital baiana e mostrar força. A goleada por 5 a 2 sobre a Suíça não é só uma demonstração de força por ser uma goleada, mas pelo bom futebol apresentado. E uma ode à Bahia, que mantém uma média de gols de mais de cinco por partida em jogos desta Copa do Mundo na Fonte Nova. E só não foi seis porque o árbitro apitou o fim do jogo quando Benzema chutava para marcar o sexto gol francês.

Os Bleus entraram em campo dispostos a resolver o jogo o quanto antes fosse possível. Abriram 2 a 0 com dois gols em um intervalo de dois minutos, fazendo a Suíça pagar pelos seus erros. Os gols de Giroud, aos 17, e Matuidi, aos 18, já mostraram que a França não perdoaria. O quadro poderia ser ainda pior se, aos 32, Benzema não tivesse perdido um pênalti, cometido infantilmente por Djourou. No fim do primeiro tempo, mais um golpe francês. Contra-ataque rápido que terminou em gol de Valbuena.

Os 3 a 0 do primeiro tempo parecem não ter desanimado a Suíça, que voltou tentando pressionar a França. Em um chute de Shaqiri, tentou causar perigo. Mas logo em seguida, quem ameaçou foi a França, em contra-ataque. Os franceses se posicionaram mais atrás no campo para tentar contra-atacar. Ficaram com menos posse de bola que os suíços, mas seguiram sendo mais perigosos.

Quando Benzema marcou o quarto gol, a Suíça parece ter perdido de vez as forças e não pressionava mais no campo de ataque. A França, ao contrário, parecia se sentir ainda mais à vontade. Os franceses conseguiram continuar a pressionar, criar chances e parecia que fariam mais gols ainda se quisessem. Marcaram o quinto em mais uma boa jogada trabalhada, enquanto a Suíça ainda tentava se encontrar no jogo.

Diminuindo o ritmo, o time francês se poupou em campo. Foi assim que a Suíça diminuiu, em um gol de falta e um gol nas costas da defesa francesa. A vitória já estava definida. O sexto gol saiu, embora o árbitro Bjorn Kuipers tenha apitado o fim do jogo com a bola no ar.

A França estará tranquila no jogo contra o Equador, na rodada final. A Suíça terá Honduras pela frente e tem chances de classificar. Ao que parece, resta saber quem irá ficar com a segunda vaga no grupo E. A primeira será da França.

FICHA TÉCNICA

Suíça 2×5 França

Suíça

Escudo SuíçaDiego Benaglio; Stephen Lichtsteiner, Johan Djourou, Steve Von Bergen (Philippe Senderos, 9’/1T) e Ricardo Rodríguez; Valon Behrami (Blerim Dzemaili, intervalo) e Gökhan Inler; Xherdan Shaqiri, Granit Xhaka e Admir Mehmedi; Haris Seferovic (Josip Drmic, 24′/2T). Técnico: Ottmar Hitzfeld

França

França

Hugo Lloris; Matthieu Debuchy, Raphael Varane, Mamadou Sakho (Laurent Koscielny, 21′/2T) e Patrice Evra; Moussa Sissoko, Yohan Cabaye e Blaise Matuidi; Mathieu Valbuena (Antoine Griezmann, 37′/2T) e Olivier Giroud (Paul Pogba, 18’/2T) e Karim Benzema. Técnico: Didier Deschamps

Local: Arena Fonte Nova, Salvador
Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)
Gols: Giroud, 17′/1T, Matuidi, 18′/1T, Valbuena, 40′/2T, Benzema, 22′/2T, Sissoko, 28′/2T, Dzemaili, 36′/2T, Xhaka, 42′/2T
Cartões amarelos: Cabaye
Cartões vermelhos: nenhum

O cara

Karim Benzema

Pelo segundo jogo seguido, foi mais uma vez o grande nome da França. Começou o jogo atuando pelo lado do campo para deixar Giroud mais centralizado, mas a boa movimentação do ataque francês o permitiu se mexer e ter boas chances. Perdeu um pênalti, é verdade, mas deu passe para dois gols – o de Matuidi e o de Sissoko -, marcou um gol e foi o grande nome ofensivo da França. E já disputa a artilharia.

Os gols

17’/1T: GOL DA FRANÇA!

Cobrança de escanteio do lado direito cobrado por Valbuena, Giroud subiu mais que todo mundo para tocar de cabeça no alto, longe do alcance de Benaglio.

18’/1T: GOL DA FRANÇA!

Behrami erra a saída de bola, jogando no pé de  Benzema. O atacante abre para Matuidi entrar na área pela esquerda e chutar colocado. Benaglio aceitou e a França abriu 2 a 0.

40’/2T: GOL DA FRANÇA!

Contra-ataque mortal da França. Depois de escanteio da Suíça, Giroud foi lançado no lado esquerdo com muito campo para correr, avançou até dentro da área e tocou rasteiro para Valbuena entrar na segunda trave e mandar para a rede.

22′/2T: GOL DA FRANÇA!

Jogada trabalhada pela França pela direita, Porgba recebeu pelo meio e fez um lindo passe para Benzema. Senderos não conseguiu cortar e o atacante girou para bater e vencer o goleiro Benaglio.

27′/2T: GOL DA FRANÇA!

Mais uma jogada em velocidade da França, trabalhada pelo meio, que passou pelos pés de Benzema no centro do ataque. O centroavante abriu na direita, onde Sissoko invadiu a área e tocou de primeira,colocado, no canto. Não precisou nem de muita força.

36′/2T: GOL DA SUÍÇA!

Em cobrança de falta no final do jogo, Dzemaili bateu forte no meio da barreira, que abriu bem onde estava Benzema, não dando chances para Lloris chegar na bola. A Suíça ao menos conseguia um gol na partida.

42′/2T: GOL DA SUÍÇA!

Bom passe de Inler, nas costas da defesa, para Xhaka. O meia bateu de primeira para marcar mais um e deixar mais um na conta da suíça.

A Tática

Suíça x França

Os suíços não mudaram o esquema tático em relação ao primeiro jogo, mas mudaram a escalação. Começaram o jogo com o time que terminou a partida contra o Equador. Só que agora o adversário era muito mais forte e, assim, a alteração não surtiu muito efeito. A criação de jogadas do time ficou presa na boa marcação francesa, além de não conseguir lidar com a velocidade dos Bleus, que trocaram a escalação, colocando em campo Giroud e Sissoko nos lugares de Griezmann e Pogba. O meio-campo francês continuou sendo destaque, marcando e jogando.

A Estatística

15

Número de chutes a gol que deu Benzema na Copa do Mundo. Marcou três gols, mas poderia ter seis. No primeiro jogo, o gol que foi dado contra – o do famoso gol marcado pela tecnologia – poderia ter sido dado para ele, embora, de fato, tenha sido contra. Ele teve um pênalti, que acabou perdendo neste jogo com a Suíça. E ainda teve um go que o árbitro não marcou porque apitou pouco antes do jogador chutar, com a França toda no ataque. Benzema parece não ter medo de chutar.