O homem de 28 anos que era suspeito de ter preparado as bombas que explodiram próximas ao ônibus do Borussia Dortmund, antes de um jogo de Champions League contra o Monaco, em abril do ano passado, confessou, durante o seu julgamento, ter sido o autor do crime que causou ferimentos ao jogador Marc Bartra e a um policial. O homem conhecido apenas como Sergei W. está sendo acusado de 28 tentativas de homicídio e duas agressões qualificadas. Corre o risco de receber pena de prisão perpétua.

LEIA MAIS: A bonita mensagem de Bartra: “A única coisa que peço é que vivamos todos em paz”

No julgamento, afirmou estar “profundamente arrependido” do seu comportamento. De acordo com Sergei, um alemão de origem russa, sua intenção não era matar ninguém. Afirmou que preparou os explosivos “especialmente para que ninguém se machucasse” no ataque de 11 de abril.

A teoria com a qual a polícia alemã trabalha é que Sergei esperava lucrar com a queda das ações do Borussia Dortmund, o único clube do país que negocia seus papéis abertamente na bolsa de valores. Ele teria contraído um empréstimo de € 78 mil para comprar 26.000 opções de venda do Dortmund, esperando que o valor despencasse depois do ataque.

“Se vários ou mesmo todos os jogadores do Borussia Dortmund fossem feridos, ou mesmo mortos, significando que o clube não poderia participar de partidas nacionais ou internacionais em um futuro próximo, isso teria um impacto significativo no valor das ações do clube no mercado”, afirma o texto do indiciamento contra Sergei, que foi preso dez dias depois do ataque. Seu julgamento começou mês passado.