Desde a confirmação de que iriam se enfrentar mais uma vez por uma vaga no Mundial na repescagem, Uruguai e Austrália começaram uma tensa troca de provocações. O clima segue pesado entre os dois, o que faz da partida deste sábado em Montevidéu como um duelo de alto risco.

Os Socceroos ameaçaram deixar o gramado caso fossem vítimas de cusparadas e agressões dos torcedores uruguaios, como eles alegam ter ocorrido na última vez em que as duas equipes se enfrentaram. Quatro anos antes, as duas seleções decidiram um lugar na Copa nas mesmas condições.

Em seguida, a Celeste tentou adiantar o jogo, alegando não ter condições de viajar a tempo para o duelo de volta quatro dias depois. Os australianos não aceitaram a proposta, o que forçou os uruguaios a dividir a delegação em três grupos para o deslocamento até a Oceania. Isto, claro, sem contar as declarações nada amistosas de um lado em direção ao outro.

O Uruguai comemorou naquela ocasião. Após perder por 1 a 0 fora de casa, a equipe derrotou os rivais por 3 a 0 e se garantiu no Mundial da Coréia/ Japão.

Em casa, os uruguaios estão há cinco jogos sem perder. Jorge Fossati sofre com uma onda de contusões, que atingiu seus dois goleiros (Fabián Carini e Sebastian Viera), sem contar a longa ausência do atacante Diego Forlán. Diego López e Marcelo Sosa seguem como dúvidas.

Guus Hiddink tem problemas para escalar os Socceroos. Craig Moore, contundido, está fora das duas partidas decisivas. Para o duelo de Montevidéu, o treinador dificilmente terá Stan Lazaridis e Harry Kewell.

Leia também:
Trinidad e Tobago e Bahrein fazem ´´duelo de pequenos´´ pela Copa
Nedved retorna para acabar com ´´amarelão´´ tcheco
Turquia enfrenta Suíça sem medo de ser visitante
Espanha joga com força máxima