Na primeira rodada do segundo turno do Campeonato Português, o atacante brasileiro Tiquinho Soares, então do Vitória de Guimarães, já havia praticamente acertado sua transferência para o Porto. Seu time, no entanto, tinha um compromisso importante pela frente: o dérbi contra o Braga, fora de casa.

LEIA TAMBÉM: A amizade entre Buffon e Casillas: oponentes em campo, cúmplices de uma vocação, lendas

Soares demonstrou profissionalismo, entrou em campo, jogou seriamente, marcou um gol e ajudou o Vitória a ganhar por 2 a 1. “Eu não podia abandonar meus companheiros, não podia fazer corpo mole, seria uma falta de respeito”, explicou posteriormente, quando efetivamente chegou ao Porto.

E tem sido com a camisa dos Dragões, desde então, que o jogador de 26 anos de idade vem ganhando manchetes e notoriedade. Logo em seu primeiro jogo, marcou duas vezes na vitória portista por 2 a 1 sobre o Sporting. O feito fez dele o nono atleta da história do Porto a marcar pelo menos dois gols na estreia e o primeiro a fazer isso num clássico.

Na partida seguinte, o adversário seria justamente o Vitória de Guimarães. Soares mais uma vez demonstrou talento e abriu o caminho para a vitória por 2 a 0 – não comemorou o gol por respeito ao ex-time. E também deixou o seu na goleada por 4 a 0 sobre o Tondela.

A história do paraibano agenciado por Deco é quase um clichê do futebol brasileiro. Logo na infância, quando ainda brincava de goleiro nas peladas em campos de areia, o menino ganhou o apelido de Tiquinho (uma abreviação da expressão “tiquinho de gente”), por ser muito mirrado. Descoberto seu talento para o ataque, rodou por times do Nordeste e do Rio Grande do Sul, até se transferir para o Nacional da Madeira, em 2015. Em sua primeira experiência portuguesa, marcou 16 gols em 39 jogos.

A boa performance chamou a atenção do Vitória de Guimarães, que o contratou. Com a nova camisa, foram 22 partidas e nove gols marcados até a ida ao Porto. E jogar pelos Dragões foi uma escolha pessoal do atleta, que tinha proposta do futebol chinês. “Quando o Deco me falou que havia a possibilidade de vestir a camisa do Porto nem pensei duas vezes. Disse-lhe para acertar tudo”, contou.

Soares é conhecido por sua capacidade de finalização dentro da grande área e pela raça que demonstra em campo. “Sou um jogador que não desiste facilmente. Para mim não há bolas perdidas”, se autodefine. Seu nome já entrou para a história pelo que fez na estreia. Mas, pelo potencial que tem demonstrado, é possível imaginar que ele ainda dará muitas alegrias ao torcedor do Porto, chegando bem mais longe do que qualquer “tiquinho de gente” poderia imaginar.

Tiquinho Soares, do Porto

Tiquinho Soares, do Porto