Profissionalmente, 2017 representou a redenção da carreira de Miguel Ángel Russo. O treinador não conquistava um título desde 2013, quando recolocou o Rosario Central na elite do Campeonato Argentino. Considerando apenas as competições de primeiro nível, então, a última taça tinha sido a da Libertadores de 2007, pelo Boca Juniors. Após alguns trabalhos curtos, o argentino foi contratado para assumir o Millonarios, que atravessava um momento turbulento. Não apenas aparou as arestas nos alviazuis, como também recolocou o clube no topo do país, faturando o Finalización justamente em um clássico contra o Independiente Santa Fe na decisão. E enquanto recebia os aplausos dos colombianos, o veterano enfrentava em silêncio uma batalha duríssima.

Pessoalmente, 2017 ofereceu uma grande provação a Miguel Ángel Russo. O treinador descobriu um câncer na bexiga. Apesar de suas dificuldades, continuou trabalhando, e contou com a colaboração de seus jogadores, de seus colegas e de seus patrões para que a notícia não se espalhasse. Preferia assim, que os seus afazeres no dia a dia não se misturassem como que vivia fora do clube. Apenas depois da temporada é que o argentino abriu o jogo, quando já era difícil de esconder. Os efeitos do tratamento e da cirurgia se tornaram visíveis em seu corpo frágil. Seguiu em frente, após retirar o tumor e vencer a doença.

No final de janeiro, Russo abriu o jogo. Às vésperas do jogo de ida da Superliga da Colômbia, contra o Atlético Nacional, o veterano de 61 anos concedeu uma emocionada coletiva de imprensa falando sobre a cura. “O silêncio às vezes é bom. Agradeço a todos. A Carlos Castro, meu oncologista, que trabalhou com sua equipe em Buenos Aires. Também a Juan Ignacio Caicedo. A todos que me atenderam em Bogotá. Isso se cura com amor, nada mais. E a todos eles, meu muito obrigado”, declarou, sem esconder as lágrimas. Pouco depois da entrevista, contudo, o treinador precisou ser internado às pressas, com uma infecção urinária.

Assistente de Russo, Hugo Gottardi assumiu o comando do time nos últimos dias. Enfrentou o Atlético Nacional no Estádio El Campín e não saiu do 0 a 0. Estreou no Campeonato Colombiano, empatando com o Boyacá Chicó. Já nesta quarta, no reencontro pela Superliga com os verdolagas, conquistou a taça ao vencer o Nacional dentro do Atanásio Girardot. Roberto Ovelar, recentemente trazido do Junior de Barranquilla, anotou os gols no triunfo por 2 a 1. Ao final, como era de se esperar, todos dedicaram a taça ao mestre Miguel Ángel, que segue internado.

A entrevista mais emocionada foi do próprio Gottardi. O assistente tentou falar direto com o treinador, olhando para a câmera da emissora RCN e mandando uma forte mensagem: “Isso é para você, Miguel, que se recuperou e vai estar na semana que vem com a gente. Tudo isso é seu, esse time você armou. Imaginariamente você está dando a volta olímpica conosco”. Além disso, diversos jogadores fizeram questão de citar o treinador em suas declarações.

O retorno de Russo ao Millonarios será exigente. Além de disputar o Campeonato Colombiano, o treinador terá a Libertadores pela frente. A estreia acontece no final de fevereiro, recebendo o Corinthians em Bogotá. Além dos brasileiros, os Embaixadores também encaram Independiente e Deportivo Lara no Grupo 7. Quem sabe, para a redenção do argentino ganhar mais um belo capítulo.