A epopeia que a torcida do Colônia viveu em Londres na última semana terá as suas continuações. Os alvirrubros prometem seguir em caravana para os dois jogos seguintes na fase de grupos da Liga Europa. Em outubro, viajarão até Belarus, onde a equipe enfrenta o Bate Borisov. Por fim, em dezembro, o compromisso será contra o Estrela Vermelha, no Marakana. Por mais que a fama dos ultras sérvios não seja das melhores, novamente os alemães esgotaram as entradas para o setor visitante e irão ocupar uma parte das arquibancadas dos anfitriões. Mas, pelo gesto desta semana, deverão conquistar o respeito dos adversários: os torcedores do Colônia doaram para um orfanato de Belgrado dezenas de ingressos a partidas do Estrela Vermelha.

VEJA TAMBÉM: O relato de um torcedor do Colônia sobre a noite histórica em Londres

A explicação para o gesto solidário começa na maneira como o Estrela Vermelha vende as suas entradas da Liga Europa. O clube sérvio disponibiliza apenas pacotes para a sua torcida. Assim, não é possível comprar os bilhetes apenas para um jogo da fase de grupos, apenas para os três de uma vez. E o sistema não desencorajou os torcedores do Colônia de adquirirem os pacotes. Contudo, ao invés de desperdiçarem os ingressos das visitas de Arsenal e Bate Borisov ao Marakana, eles se mobilizaram em um fórum para fazer a alegria de crianças e adolescentes atendidos pelo orfanato Zvecanska, na capital. A instituição ainda emitiu um certificado sobre a caridade feita pelos alemães.

Na Sérvia, a imprensa local vem repercutindo bastante o episódio e elogiando a postura generosa dos torcedores alemães. “As reações são extremamente positivas, mesmo entre fanáticos nacionalistas e anti-ocidentais. Eles entendem que a doação é um ato de cavalheirismo e corresponderão com o respeito aos torcedores visitantes. O futebol tem um grande potencial, como esporte do povo”, declara Bogdan Mitrovic, torcedor do Estrela Vermelha que intermediou a entrega ao Zvecanska. Outros torcedores do Colônia manifestaram sua intenção de realizar mais doações, a escolas e hospitais infantis.

No fim das contas, uma partida que parecia com enorme potencial a episódios de violência, ainda mais por acontecer na última rodada, tem a chance de proporcionar uma inesperada fraternidade entre as duas torcidas. Obviamente, alguns riscos persistem, especialmente considerando que torcedores de ambos os clubes dividirão espaços em comum – no primeiro jogo em casa na Liga Europa, o Estrela Vermelha ocupou 40 mil dos 55 mil lugares disponíveis no Marakana. Entretanto, a grandeza de espírito dos seguidores do Colônia gera excelentes perspectivas ao encontro. Um gesto transformador, em vários sentidos.