Ao longo da última semana, Abel Braga recebeu diversas demonstrações de apoio. Muitos queriam oferecer um pouco de conforto ao pai que perdeu seu filho de 18 anos, João Pedro, vítima de um acidente doméstico. A torcida do Fluminense se reuniu no entorno da sede do clube, onde aconteceu o velório no último domingo, e cantou para o treinador. Já neste sábado, o reencontro veio no Maracanã. Abelão se emocionou bastante na quarta, durante a homenagem feita na Ilha do Retiro pelos torcedores do Sport. E os 27 mil presentes nas arquibancadas cariocas repetiram as cenas, antes da vitória por 3 a 1 sobre o Atlético Goianiense.

Abel foi recepcionado por crianças na chegada ao estádio e, na entrada em campo, teve o seu nome cantado pela torcida. “Guerreiro, Abelão guerreiro” era a música que ecoava, enquanto os tricolores mostravam bexigas brancas. O treinador acenou e não se escondeu as lágrimas. Já outro momento tocante aconteceu durante o minuto de silêncio, impecavelmente respeitado por todos os presentes, como raras vezes se vê nos estádios brasileiros. Representa bem a consideração enorme dos presentes no Maracanã pela dor do comandante.

Quando a bola rolou, os jogadores do Fluminense fizeram o serviço e não deixaram de abraçar Abel Braga nas comemorações dos gols. Wendel, Wellington Silva e Henrique Dourado balançaram as redes para os tricolores, enquanto o Atlético anotou o seu tento com Paulinho. Ao apito final, mais gritos em apoio a Abel, que em vários momentos da partida olhava e apontava aos céus. Já na coletiva de imprensa, o técnico usou uma camiseta com o rosto do filho, agradecendo todas as manifestações e ressaltando o que considera ser uma lição dada por João Pedro, diante de tamanha solidariedade.