A Copa Libertadores está entre os campeonatos mais difíceis de se disputar no planeta. Principalmente, por causa da pressão que as torcidas põem em seus adversários. Não é raro ver um jogador protegido por escudos para cobrar um escanteio, chuvas de cuspe à beira das arquibancadas, foguetório na frente do hotel ou outras formas de intimidação. A Liga dos Campeões da Ásia, no entanto, parece disposta a competir neste quesito.

VEJA TAMBÉM: O protesto da torcida do Legia contra porcos capitalistas da Uefa ficou sensacional

Quem sofreu com a torcida adversária foi o Western Sydney Wanderers. A equipe australiana havia vencido o jogo de ida contra o Guangzhou Evergrande, pelas quartas de final, com algumas decisões polêmicas da arbitragem. Dois jogadores dos atuais campeões foram expulsos, o que levou até mesmo o técnico Marcello Lippi a invadir o campo. Então, os chineses resolveram tornar a vida dos visitantes um inferno na partida de volta.

A coação ao Western Sydney começou já na ida ao estádio. Segundo os jogadores, o terror começou na véspera, com portas batendo nos quartos do hotel e trotes no meio da madrugada. Pouco antes da partida, o ônibus do clube sofreu dois acidentes de propósito e ainda foi atingido por objetos quando se aproximava do estádio. Para os australianos, uma tentativa em atrapalhar a chegada do time e, assim, beneficiar o Guangzhou Evergrande.

“Um carro fechou o nosso ônibus, quem sabe se não tinha a ver com futebol? Nós pisamos no freio e alguém correu até o fundo do ônibus. Felizmente, tínhamos outro ônibus de reserva. Isso deu a todo o time mais vontade de nos classificar”, afirmou o defensor Brendan Hamill, acreditando que o acidente foi proposital.

A história é endossada por Shannon Cole, companheiro de Hamill no clube: “Alguém fechou o nosso ônibus por querer e batemos nele. Em seguida, outro ônibus nos atingiu por trás. Tivemos que esperar um ônibus reserva e, cinco minutos depois, outro acidente. Eles fizeram tudo o que foi possível. Na chegada ao estádio, centenas de garrafas foram atiradas contra nós. Mas estávamos adiantados, a comissão técnica planejou tudo muito bem”.

Apesar da pressão, o Western Sydney conseguiu manter os nervos no lugar. A derrota por 2 a 1 foi suficiente para o time graças ao gol fora de casa, já que os australianos haviam vencido por 1 a 0 em seus domínios – e, na comemoração, Tomi Juric pediu silêncio à torcida chinesa. A ajuda extra não adiantou para o Guangzhou buscar o bicampeonato. E os Wanderers já podem dizer que estão prontos para um duelo com um pouco mais de pressão, seja ele no Defensores del Chaco ou na Bombonera.