Em dia de Barcelona x Real Madrid, sempre vem à tona a velha história protagonizada por Luis Figo. Logo depois de sua transferência para os merengues, o português foi recebido em sua volta ao Camp Nou por uma cabeça de porco, arremessada das arquibancadas. Como aquilo passou pelos seguranças é o que ninguém sabe explicar. Nesta quarta, um episódio parecido aconteceu na Salônica, antes do clássico entre Paok e Olympiacos, pela semifinal da Copa da Grécia. Dezenas de peixes foram distribuídas pelo banco de reservas dos visitantes (veja a foto abaixo).

BlXO2qbCIAAfaPa

Obviamente, o pessoal do Olympiacos não gostou nada da ‘homenagem’ – que, além do odor, também faz referência ao fato de que os alvirrubros são de uma cidade portuária. Segundo a imprensa grega, foi feita por torcedores, embora seja difícil imaginar que não houve participação também de funcionários do Paok. Só depois de uma hora de paralisação, também por conta de fogos de artifício atirados em campo, é que a partida foi iniciada.

E dá para dizer que o inferno vivido pelo Olympiacos não foi apenas pelo cheiro desagradável. A torcida alvinegra fez uma festa espetacular com sinalizadores antes do início da partida, mostrando bem qual é o conceito de ‘caldeirão’ no futebol. Em meio ao clima quente, que contou com confusões entre os jogadores e duas expulsões, o Paok venceu por 1 a 0 e garantiu a vaga na decisão graças aos gols fora de casa. Diante de tantos artifícios extracampo, é difícil negar que torcida ganha jogo.

Abaixo, o espetáculo da torcida alvinegra com os fogos: