A torcida do Rayo Vallecano tem um vasto histórico de levar lutas políticas e sociais para as arquibancadas do Estádio Teresa Rivero. Recentemente, os ultras da equipe da capital chegaram a sabotar a alimentação de energia do estádio em um jogo contra o Real Madrid, protestando contra o horário em que o jogo foi realizado. Nesta quinta-feira, porém, os ‘Bukaneros’ se posicionaram em um debate bem mais amplo durante a partida contra o Villarreal, por La Liga.

“Nuestro coño, nuestra decisão”, dizia a faixa levantada atrás de um dos gols. A frase bate contra uma nova lei antiaborto proposta pelo Ministro da Justiça, Alberto Ruiz Gallardón, contra a qual as feministas da torcida apontam que ‘a vagina é nossa, a decisão também’.O governista quer instaurar um antiprojeto sobre a lei do aborto, eliminando a liberdade da mulher em tomar a decisão durante as 14 primeiras semanas de gravidez – o aborto só será permitido em caso de risco de saúde permanente à mulher ou de estupro.

A forma encontrada pela torcida para tratar o tema foi impactante, mas que serve para ampliar uma discussão pertinente a todos no país a um ambiente no qual ela dificilmente teria inserção. E para isso é que o futebol também serve: para mobilizar as massas em torno de assuntos importantes para a sociedade.

A dica é do 101 Great Goals